Ir para conteúdo

O adeus do “Oi, oi, oi”

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Fotos: Juliana Rocha

Hoje você não tá sentindo um clima meio de final de Copa do Mundo? Pois é. A diferença é que ninguém vai pra rua comemorar depois de descobrir quem matou o Max. Ó só algumas que a gente ouviu hoje, aqui no escritório, na web e nas ruas:

– um amigo que se recusa a assistir à novela vai para o Baixo Gávea, mas tá com medo de os garçons não aparecerem;

– outro, que se mudou pra Califórnia no meio da trama, vai acompanhar via Globo Internacional; a nossa Isadora, que se mudou pra Espanha, vai ter que assistir pela Internet na madruga de Salamanca.

– uma amiga foi convidada pra ir a uma espécie de festa em que todo mundo vai ficar quieto durante os 70 minutos de transmissão. E tem que ir fantasiado de algum personagem;

– agora há pouco, no Twitter, a gente leu a provocação do ator Alexandre Nero: “Cadê os engajadões abraçadores de árvore pra sugerir o tal Dia Sem Globo pra hoje?”;

– também no Twitter, a gente leu a convocação (a gente sentiu uma ponta de ironia) da gravadora Deckdisc: “Esquece novelaaaaaa… A boa de hoje é ir no show do Otto no Circo Voador!!!” (a gente adora o Otto e o Circo, mas vai esperar o próximo);

– a Ju, nossa fotógrafa, ligou há pouco pro restaurante em que vai jantar: “Vão transmitir a novela?”. E a resposta: “Claro!”

– a Renata, nossa editora, recomendou: “Não saiam muito tarde hoje, ou então não vão conseguir táxi na rua”.

– E a Paula Merlo, editora da Glamour, a lindona da foto aí em cima, contou pra gente que o único programa que interessa hoje é esse, que todos já sabem: se ligar na Avenida Brasil.

Sem mais delongas, pra não correr risco, a gente se despede por aqui hoje e deseja a todos uma ótima novela. E que não falte luz, por favor. Tchau, tchau, tchau!

Comentários