Ir para conteúdo

A moda que o Rio ensina #1

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Sabe aquele tipo de gente que você senta pra conversar e dali saem dois, três ou quatro assuntos diferentes em apenas alguns minutos? Com o Michel Cardoso foi assim – da moda, passeando por sustentabilidade, fotografia e design, até história da arte é um piscar de olhos.

Formado pelo SENAI CETIQT em julho do ano passado, ele participou do Desafio Brasil Fashion – um concurso interno com todas as redes – em que de 300 projetos, 9 foram selecionados. Um deles foi o do Michel, que teve o prazer de passar três meses vivendo um treinamento intensivo com Lino Villaventura. De tudo isso nasceram muitos frutos – hoje ele continua trabalhando ao lado de Lino em eventos como SPFW e Minas Trend, além de dar aulas no SENAI CETIQT. Entre as matérias dessa experiência, estão Pesquisa de Tendência e Mercado, Fotografia e Ilustração.

A gente encontrou com ele em um de seus lugares preferidos, a Igreja de São Francisco da Penitência, ali no Largo da Carioca. “É a joia do barroco brasileiro”. Além do lugar à revelia do caos do Centro, ele também tem outras quatro dicas de lugares pra visitar no Rio – tão fora do circuito mainstream quanto a locação dessas fotos. Lá vai!

– Palácio Capanema (Centro, antigo MEC): um dos primeiros prédios de arquitetura moderna carioca. O projeto inspirado por Le Corbuisier era liderado por Lúcio Costa e contava com uma equipe de jovens arquitetos integrada por Oscar Niemeyer, Carlos Leão, Jorge Moreira, Affonso Eduardo Reidy e Ernani Vasconcellos, além do paisagismo de Roberto Burle Marx. Os painéis de azulejos são obra de Cândido Portinari. É decorado com esculturas de Bruno Giorgi, Celso Antônio e Alfredo Ceschiatti, e telas de Guignard e Pancetti.

– Museu da Chácara do Céu (Santa Teresa): colado no Parque das Ruínas, do jardim dá pra ter uma vista da incrível da cidade. Tem em seu acervo mestres europeus do porte de Matisse, Modigliani, Degas, Seurat e Miró; Guignard, Di Cavalcanti, Iberê Camargo, Antônio Bandeira, Eliseu Visconti e Portinari; Um dos destaques vai para o acervo com mais de 500 originais de Debret.

– Cidade das Artes (Barra da Tijuca): projeto monumental do arquiteto francês Christian de Portzamparc. Primeira construção de arquitetura pós-moderna da cidade, uma reação contra o “racionalismo” excessivo da arquitetura moderna. É palco de espetáculos de teatro contemporâneo como textos de Ionesco e Beckett.

– Teleférico do Alemão (Bonsucesso): além de um passeio aéreo pelo Complexo do Alemão, do alto a vista do Rio de Janeiro é deslumbrante.

Fotos: Juliana Rocha

_DSC6112 cópia _DSC6121 cópia _DSC6141 cópia _DSC6142 cópia

Comentários