Ir para conteúdo

RIOetc entrevista Coorte

Fotos:
|
Texto: RIOetc

_DSC9820 ok_DSC9826 ok

 

Fotos: Juliana Rocha

[Francesca Leta]

Tem pessoas que a gente encontra por aí e energia passa pelo brilho dos olhos.  E dessa vez a sorte foi grande, foram três meninas com um astral contagiante. Mas a melhor parte é que elas estão usando essa energia para produzir. Luna Pizzato, Fernanda Bertol, Carol Zurcher – e a Amanda Barpp que não pôde estar conosco – são as cabeças pensantes por trás do coletivo Coorte.

Antes de explicar o que elas fazem, vamos voltar para um ano atrás. Apesar de ainda não serem amigas, o cenário da vida das quatro era bem parecido: trabalhos burocráticos, que garantiam certa estabilidade financeira, mas não traziam qualidade de vida.  Carol, que é de BH, já morava aqui no Rio há bastante tempo. As gaúchas Fernanda, Amanda e Luna tinham se mudado há pouco e queriam conseguir aproveitar a cidade. “Um dos motivos que me mudei, além do trabalho, foi o mar. Acho que esse foi o motivo principal para todas”, comenta Luna, que é publicitária por formação.

De junho a agosto do ano passado começaram as transformações. A exaustão no trabalho resultou em um somatório de pedidos de demissões que fez com que as meninas, que já tinham sido apresentadas nesse ponto, começassem a pensar em como poderiam movimentar a cidade. Hoje, a Coorte é uma curadoria criativa e facilitadora de projetos transformadores. “Fazemos a produção de projetos que acreditamos que mudam a realidade de algo – de uma pessoa, de um grupo, de um bairro…”, explicam.

O primeiro evento foi o Second Hand, um evento que estimula a economia criativa local, com roupas de segunda mão, espaço para pequenos produtores locais e novos nomes da arte. Mais recentemente, organizaram o Dia de Boas Ações, em parceria com o Atados. “Esse evento foi um demais. Demos a cara a tapa e conseguimos, com sucesso, realizar o que prometemos. Foi uma realização”, conta Carol. Agora elas estão voando longe e já fizeram parcerias com algumas marcas conhecidas no Rio.

O próximo evento, o Pechakucha, vai rolar amanhã, 6 de maio, na Perestroika. “Fui uma vez em POA e me apaixonei. É um evento mundial, que acontece em 800 cidades espalhadas pelo mundo”, conta Luna.  O evento tem um formato especial com metodologia japonesa – clica aqui para saber mais – e o tema dessa vez é reapropriação urbana. Ainda da tempo de se inscrever, é só mandar um email para [email protected]. A notícia boa é que é de graça e as meninas garantem um mimo pra todo mundo que for.

O coletivo é um projeto que mudou a vida delas e o objetivo é continuar transformando a vida de outras pessoas. A ideia é contagiar todo mundo de boas energias!

Comentários