Ir para conteúdo

Procura-se um colunista

Fotos:
|
Texto: RIOetc

[Tiago Petrik]

Por falta de tempo, o querido amigo Rafael Doria não tem conseguido mais atualizar a nossa Galeria Urbana. Aproveito pra lançar a pergunta: alguém se candidata a ocupar o cargo de colunista do RIOetc? Mensagens para [email protected]!

Mas pego carona na ArtRio pra tirar a poeira do espaço eu mesmo. Lamentavelmente, não pra festejar, nem pra mostrar alguma grande criação nova. Mas pra reclamar uma política coerente da Prefeitura em relação à arte urbana. Se por um lado parece incentivar a ocupação (como, afinal, tem acontecido durante a grande feira), por outro parece que um burocrata de mentalidade antiga assumiu o cargo de “curador de arte” da cidade. Ficou estabelecido, não se sabe por quem nem por que motivo, que é melhor para o Rio ter viadutos monotonamente cinzas, e não mais coloridos.

Em junho do ano passado, o Doria dizia, aqui mesmo: “garanto que essas paredes nunca mais desejarão retornar à monocromia antes imposta pela engenharia”. Ele se referia ao viaduto de acesso ao Túnel Rebouças, na Lagoa. Pois o tal burocrata-curador de arte descobriu uma tinta que impede pichação e mandou cobrir todas as obras que lá estavam há tempos. E assim aconteceu em outros locais da cidade – numa ação semelhante à que fizeram com o Profeta Gentileza, no passado, e foi cantada por Marisa Monte: “Apagaram tudo / Pintaram tudo de cinza”. Depois deu um trabalhão pra recuperar a surpreendente obra de Gentileza – mas felizmente ela continua à mostra, pelo menos até a demolição do Elevado da Perimetral.

No caso do Rebouças, só sobrou um grafite, em que São Jorge está representado, montado sobre seu cavalo, matando o dragão. Na minha modestíssima opinião, era a menos interessante de todas as obras do local. A permanência dela deve significar que o tal “curador” que decidiu pintar tudo de cinza gostou muito, ou então é um devoto do santo… E essas decisões aleatórias vão continuar sendo tomadas enquanto ninguém explicar: qual é, afinal, a política carioca em relação à arte urbana?

Esse é mais um motivo pra reforçar o pedido lá de cima: reativar a nossa coluna Galeria Urbana é a única forma que a gente tem de colaborar com o debate. E o salário que a gente pode oferecer é esse mesmo: a possibilidade de colaborar com o debate usando essa tribuna.

Comentários