Ir para conteúdo

Picada pelo zika carnavalesco

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Monique Motta se considera “novata” no carnaval carioca. Mas a paulista, que prefere mesmo ir na contramão da muvuca, diz que “depois de dois anos no Rio é impossível não ser picado pelo zika carnavalesco”. Ano passado, então, ela se jogou já desde o pré-carnaval. “Minha quarta-feira de cinzas nunca mais foi a mesma… Este ano pretendo viajar, mas o pré tá aí, né?”

Hoje é ela, que trabalha no departamento de Branding do Cantão, quem apresenta as tattoos carnavalescas que fizemos em parceria com a turma da Le Petit Pirate. Ela misturou os grafismos da coleção #Fervereiro com o turbante africano da Project Tribe: “Ele me acompanha na maioria das vezes. Troco a produção, mas ele bate cartão”.

Na lista de blocos favoritos da Monique estão Boitolo, Pérola da Guanabara, Agytoê e Orquestra Voadora. “Pelo segundo ano o Cantão faz uma parceria com a Orquestra. Realizamos oficinas de fantasias com os integrantes, em que doamos todos os tecidos e aviamentos sob a chancela do projeto Reciclagem Cantão. Parte do bloco desfila com fantasias customizadas e autorais. Além disso, o pássaro da comissão de frente do bloco desfila de look novo este ano, idealizado pela equipe de estilo da marca”, conta.

Por falar em parcerias que deram certo, aqui e aqui você pode conferir também as tattoos RIOetc + Le Petit Pirate dos outros anos. Todas as coleções são atóxicas, perfeitas pra adultos e crianças brincarem o carnaval.

E pra se programar, tá aqui nossa Agenda da Folia 2016!

 

_DSC3602 cópia_DSC3591 cópia _DSC3595 cópia  _DSC3659 cópia _DSC3689 cópia

Fotos: Tiago Petrik

 

Comentários