Ir para conteúdo

Onde se fartar em Boipeba

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Fotos de Tiago Petrik

A simpática figura aí de cima é o internacionalmente conhecido Guido. Ele tem uma cabana-restaurante na Praia da Coeira, em Boipeba, e é responsável não apenas pela cozinha, como também pela pesca dessa lagosta.

Ele conta que para apanhar a comida, espera passar o dia inteiro de trabalho pro seu segundo turno, a pesca. À noite, segundo o craque das panelas e do mergulho, é melhor pra ir à caça. O tchibum noturno de Guido às vezes atinge a profundidade de seis metros. O resultado é esse aí: um carrinho de mão cheio de lagostas, que ele serve de tudo que é jeito: cozida, grelhada, com o filé misturado a coco e abacaxis, do jeito que o cliente escolher.

O camarão, que você vê nessa panela mais de perto, é outra especialidade da casa. Guido conta que já recebeu elogios de chefs renomados. “Alex Atala babou”, conta, sem falsa modéstia. E Olivier Anquier teria dito que nenhum gringo acharia abusivo se ele cobrasse R$ 200 num prato. Felizmente pra quem tá a passeio, o preço é bem mais em conta. Nessa época de altíssima estação – em que franceses, espanhóis e italianos formam a maior parte da clientela -, um prato caprichado pra duas pessoas sai a R$ 70, com todos os acompanhamentos. A gente pode assegurar que vale MUITO a pena. Na baixa estação, os preços melhoram ainda mais.

Outro lugar pra você anotar no seu caderninho é a Pousada Santa Clara, charmosíssima, que fica um pouco escondida, mas qualquer nativo conhece. O dono é o Charles, um dos gringos que foram passar férias e nunca mais conseguiram ir embora. No caso dele, pros States. Mas tem muitos outros, de outras procedências. A Santa Clara é mais sofisticada que a média, e é necessário marcar lugar com antecedência.

Lá também é possível dividir uma entrada e um prato principal e sair satisfeito. Essas duas dicas são as necessárias, mas a verdade é que a maioria absoluta dos restaurantes serve comida boa, farta e a um preço justo. Na vila de Boipeba, nossa principal recomendação é o restaurante Panela de Barro. Quando a fome não for de leão, dá pra se garantir com o beiju de tapioca ou o acarajé da praça. Mas cuidado com a pimenta!

Pra finalizar nossas dicas gastronômicas, a gente não podia deixar de citar essa simpatia de quiosque. Fica no meio de uma trilha (a que leva às praias de Tassimirim, Coeira e Moreré) e serve zilhões de sucos diferentes pro cidadão que já tá com a língua de fora e precisa de um descanso! Pra ver outras dicas e posts sobre Boipeba, clica aqui, ó!

Comentários