Ir para conteúdo

Novas terras

Fotos:
|
Texto: RIOetc

 

 

 

Fotos: Juliana Rocha

Começou de tardinha e entrou noite adentro. Esse domingo, a esquina da Maria Quitéria com Redentor foi testemunha do lançamento da coleção de inverno da FYI. Que, na verdade, começou no Ushuaia, a terra do fogo, do fim do mundo e de uma natureza intocada.

Essa Terra Incógnita, foi representada pelo diretor criativo e amigo Peu Mello em uma fábrica de baralho desativada que, ao receber, os artistas Demian Jacob, Layla Motta e Bianca Nabuco, ganhou o sentido da terra austral. Esse espaço, interferido pelos artistas e pelas suas obras, que passaram a o habitar, se transformou em cenário para os vídeos e catálogo da coleção.

Mas foi na festa/exposição que todos os detalhes se mostraram como parte de um todo. Enquanto eram projetados vídeos que colocavam em movimento as peças da coleção, os quadros com fotos das obras realizadas na fábrica respondiam em sintonia, com o mesmo fogo. O sobe e desce das escadas do Complex eram compassados com o som do Gomus, do Esper e do Zé do Roque. Bastava ver a própria coleção andando, no corpo e com as escolhas da Joana Braz, para saber que a mulher FYI estava ali se reinventando mais uma vez.

 

 

Comentários