Ir para conteúdo

Guia do Humaitá #1

Fotos: Tiago Petrik
|
Texto: RIOetc

Chegamos ao Humaitá, e pra fazer uma média com a vizinhança, foi por aqui que resolvemos fazer nosso primeiro editorial, reunindo as marcas que estão conosco na loja. O primeiro cenário escolhido foi o da Cobal – sigla para a extinta Companhia Brasileira de Alimentos, criada em 1962. A intenção era fazer escoar a produção agrícola nas grandes cidades, e a Cobal do Humaitá foi inaugurada em 1971. Naquela época e durante muitos anos, era praticamente toda ela tomada por feirantes. Aos poucos, o perfil do lugar foi mudando, com a entrada de restaurantes e outras lojas – de supermercado (Farinha Pura) a loja de materiais de limpeza (Far Clean), tem de um tudo por lá. O que a gente recomenda do lado da Cobal que fica de frente pra Voluntários (onde ficam também as lojas de flores):

– Harad – o árabe é bom e tem preço honesto.

Joaquina – pra comer comida brasileira e beber cerveja de garrafa.

Puebla Café – um mexicano das antigas que mantém a boa fama.

Agora do outro lado:

Manekineko – o japa que faz malabarismos em seu cardápio.

Pizza Park – massa fininha como a gente gosta.

Na meiúca:

Espírito do vinho – portugueses, com certeza.

Vivant – aquele a quilo que você respeita.

E tem muito mais coisa pra descobrir, todo dia.

Créditos das fotos:

Fernanda Prestes veste:

Macacão Duas – R$ 392,90

Cropped Min – R$ 89

Pochete Poch – R$ 160

Brincos Nuni – R$ 79

Daniela Izabel veste:

Body Wasabi – R$ 569

Calça Helena Pontes – R$ 379

Brincos Estúdio Ripa – R$ 180

Bolsa Catarina Mina – R$ 189

 

Beleza: Laura Peres

Styling: Vivi Melchior

Comentários