Ir para conteúdo

Existem mil maneiras de ir a Miami

Fotos: Tiago Petrik
|
Texto: RIOetc

“A Miami Ad School se mudou do Centro para Botafogo.”

Existem mil maneiras de reconstruir a frase acima. Aqui vão quatro exemplos:

“Se você não quer ir longe, não anote esse endereço: Voluntários da Pátria, 301, sala 401.”

“Grandes criativos sabem um pouco de tudo. Isso explica nossa sede ser entre um bar e uma igreja.”

“Agora o Rio de Janeiro tem New York na Barra e Miami em Botafogo.”

“Na rua mais famosa de Botafogo, a escola de Publicidade mais famosa do mundo.”

Todos os títulos foram criados por Erik Machado, diretor de arte, e pelos redatores Tiago Daltro, Igor Pontes e Gabriel Moraes. Os quatro alunos da Miami uniram-se num processo criativo para comunicar, com toda a graça que a Publicidade pede, de forma diferente, a mesma novidade descrita na frase que abre o texto. “Tudo começou de um sentimento verdadeiro de pertencimento. A gente não tinha briefing, não era um desafio “nosso”. A gente só quis criar algo para ajudar a trazer mais alunos para a Miami Rio. O que é, no mínimo, uma prova de o quanto a gente acredita no curso que fazemos. E de o quanto queremos que mais gente faça”, explica Igor.

Era apenas um exercício, mas a ideia ganhou a direção da escola e foi convidada a sair do ambiente acadêmico para cristalizar na cabeça do público a mudança, ocorrida no início do ano. “As principais agências estão em Botafogo. Então ter a melhor escola em Botafogo faz muito sentido”, explica Erik (à direita nas fotos), que ainda está em seu primeiro trimestre de curso, mas já tem dez anos de currículo em agências. Atualmente está na Camisa 10. Na série de pôsteres – que também podem ter uso como peças de redes sociais, adesivos ou anúncios convencionais –, o diretor de arte pensou numa forma que pudesse variar, mas dando destaque para a mensagem. “Pensei várias maneiras de ilustrar isso. Primeiro, num flamingo voando, mas acabei chegando às rotas de GPS, que todo mundo consulta atualmente, através do Google ou do Waze. Elas são as perninhas do flamingo, como ponto de saída ou chegada”, explica. “Gosto de sintetizar uma ideia com o mínimo de elementos possível”.  Tiago complementa: “Poderíamos ter criado 50 títulos diferentes, que sempre terá uma rota diferente para ilustrar também”.

Tiago – atualmente redator da Fullpack – reuniu-se com Igor Pontes, também da Fullpack, e Gabriel Moraes (ex-aluno da Miami Rio, agora na Miami São Paulo), da CP + B – online, através de um documento do Google. Cada um gerou diversos títulos, que os demais depois mexeram, contribuindo para o resultado final. “A gente tava conversando e percebeu que vários amigos do mercado ainda não sabiam da mudança, por isso resolvemos fazer essa contribuição”, diz Tiago, que explica por que considera a Miami a melhor das escolas: “A Miami não é vinculada ao MEC, e isso é ótimo. Porque ela consegue colocar os melhores profissionais do mercado, que não necessariamente têm mestrado ou doutorado, para dar aula. São os melhores redatores do Rio, os melhores diretores de arte do Rio. Vale mais a pena aprender com esses caras do que com quem não vive o mercado no dia a dia. Acho que esse é o grande diferencial. Você tem um incentivo absurdo para colocar ideias na rua”. Igor vai além: “Ficamos muito felizes de ver esses cartazes ganhando a rua e a gente podendo colaborar com a Miami. Engraçado que essa reportagem foi uma notícia ótima em um mês que, para a nossa vida na Miami, foi quase perfeito. Participamos de grupos que levaram prata no Clio Awards, bronze no Lisbon Ad Festival e bronze no FIAP. Acho que a gente só tem a agradecer à Miami por essas e tantas oportunidades. E se esses cartazes ajudarem a trazer novos alunos, nós estaremos realizados.”

 

A propósito:  as aulas do último trimestre de 2018 começam no dia 8 de outubro e ainda este mês serão abertas as inscrições para as turmas de janeiro/2019 de Direção de Arte, Redação e Design. Ah, e a Miami agora é em Botafogo! ;)

Comentários