Ir para conteúdo

1 – Edney Martins

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Meu bom e velho Noel,
Tenho que confessar: não acreditava mais no senhor, e isso faz muito tempo, desde aquele trenzinho de ferro que encontrei na beira da minha cama e que me custou um pé furado quando pisei nele sem querer (ali percebei que o senhor sofria da mesma dificuldade que meu pai em guardar as coisas debaixo da cama, e o senhor deve lembra de como eu era bom em ligar os pontos), mas o tempo passou, eu nem moro mais na mesma cidade, fico tirando uma de seu auxiliar aqui com os meus filhos, sempre pensando como é que vou contar a eles que o senhor não existe (para ler a carta inteira, clique aqui!).


Até que, passeando por esse novo mundo digital, meio blogueado de tanta coisa para fazer, vim ver a atualização do rio etc e descubro que o senhor terceirizou a sua entrega e no lugar de renas e trenó, estabeleceu uma parceria com essa moçada descolada e criou essa dêagáele natalina com essa cesta de presentes número família; sim, porque a diversidade dos itens, vamos combinar, hein Noel!? Isso faz com que o ganhador seja mais um ponto nessa holding de distribuição, porque nenhuma criatura pode ficar com tudo isso só para si…a não ser que não seja assim tão boazinha, mas isso cabe à sua avaliação e eu não quero usar meu espaço aqui para queimar o filme da concorrência, não é Noel?
Agora, mandar carta sem a garantia da privacidade, vou te contar, modernizaste, hein Noel? Digital, cibernético, trabalhando em rede e super colaborativo…impressionei. E impressionei tanto que pensei: acho que esse cara existe mesmo, e esse papo de roupa vermelha e CocaCola é isso aí, e quem garante que Noel não vai dar uma banda depois no Cabaré das Rosas enquanto a gente se entope de rabanada? Tá bem Noel, sorry! Essa parte não me diz respeito mesmo.
Vamos ao que interessa. Eu devo dizer que tentei, e consegui ser bonzinho nesse ano (qualquer declaração em contrário não deve ser considerada se não for provada em juízo, com julgamento em última instância, tá?), com isso alcanço o requisito principal do povo das antigas, não é Noel? Mas anexa aí que tenho sido bonzinho também nas postagens do twitter (falei um monte da Cop15 e até fiz campanha para o clima não esquentar, e percebo como isso é do seu interesse, já que a Lapônia sem neve deve ser meio uó), do Facebook (usei a rede para ajudar uma amiga argentina que tinha perdido um amigo israelense que tinha viajado da Bolívia para a fronteira do Peru com o Brasil. Que tal?) e o meu blog trata sempre de questões que podem (ou não, como diz aquele baiano que não deve acreditar muito no senhor, nem no Woody Allen) interessar para algumas pessoas que, como eu, acompanho blogs e a vida.
Ah! E sempre lhe tratei com o devido respeito, o que, vamos combinar, é artigo raro em um Brasil que segue envelhecendo sem saber tratar os seus idosos com dignidade.
Sendo assim, meu bom velhinho camarada, não vou tomar mais o teu tempo, que ainda tem muita cartinha para ler, e espero que o senhor escolha com isenção, mesmo sabendo que isso anda mais raro e caro do que trufa branca italiana, e sem corporativismo, claro, porque mesmo não tendo muita carta de menino aqui no blog, todos nós acreditamos no senhor e sabemos que vai dar o desconto para essa timidez que nos assola.
Daqui, meu abraço saudoso, cheio de alegria por saber que o senhor está bem, antenado e muito bem acompanhado por essa moçada do rio etc, e, mesmo não ganhando esse saco de presentes para tirar uma onda de seu clone no Natal, valeu o encontro e esse dedinho de prosa.
Ah! E vê se não some, rapaz, que esse negócio de só aparecer no Natal, acaba dando nisso do povo te encher de pedido ao mesmo tempo.
By the way, se resolveres ter um ataque vintage e levar o trenzinho esse ano de novo, pode deixar em cima do sofá, tá? Por segurança…
Beijão,
Edney Martins

Comentários