Ir para conteúdo

RIOetc Musical: Rosas vermelhas para Gregory Isaacs

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Imagem: Reprodução

[Por Léo Gadelha/Pitada]

Ah, segundas-feiras… Ficou em silêncio no dia 25 de outubro uma das maiores vozes do Reggae – e certamente de todo o mundo. O supremo Gregory Isaacs morreu em sua casa, em Londres, depois de uma batalha de um ano contra um câncer de pulmão. Como todo bom regueiro, Gregory gravou zilhões de discos, alguns maravilhosos, outros nem tanto.

O mais conhecido e poderoso de todos foi  “Night nurse”, de 1982, feito em parceria com a dupla Sly & Robbie. Ali está Gregory, o “Cool Ruler” em todo o seu esplendor: a voz de canarinho, com toda a malandragem jamaicana, em grooves românticos de entortar a cintura e abalar o coração. Não por acaso, ele era rei nas quebradas regueiras de São Luís, no Maranhão, onde suas pedras fizeram bombar as radiolas locais e embalaram  muitos casais dançando juntinho. E era também, acima de tudo, como mostra a toda linda “Too good to be true”, um soulman, como quase todo (bom) cantor de reggae “made in Jamaica”.

Gregory – que fez um show bagunçado, mas inesquecível, na Fundição há alguns anos – foi homenageado, de cara, por Suggs, do querido Madness, na cerimônia de premiação da revista Q em Londres, na mesma noite de sua morte. Segundo Suggs, Gregory era um dos mais elegantes cantores da história do reggae. Outras homenagens certamente vão pintar ao longo dos meses e dos anos – já morrendo de saudades, fica aqui a nossa, singela, a essa estrela maior do Reggae.

Comentários