Ir para conteúdo

RIOetc Musical – Mamãe passou açúcar em mim

Fotos:
|
Texto: RIOetc
[Léo Gadelha/Pitada]
O ano de 2009 ficou marcado pelo documentário “Ninguém Sabe o Duro Que Dei”, a crônica definitiva sobre a épica ascenção e queda de Wilson Simonal (clique aqui pra ver o trailer). O filme gerou um debate cultural intenso no meio musical, que há muito tempo não se via. Debates inflamados em livros, jornais, revistas e blogs tentam entender o que realmente aconteceu naquele nebuloso período em que Simonal era o rei absoluto das paradas de sucesso e, ao mesmo tempo, o país entrava no período mais duro da ditadura militar.
Para que o momento Simonal não seja perdido, o documentário chega em DVD pela Biscoito Fino. Os diretores Claudio Manoel, Calvito Leal e Micael Langer costuraram cenas de arquivo e depoimentos recentes, resultando em um filme equilibrado, que não toma partido de ninguém e repleto de sucessos do cantor. O imenso talento artístico de Simonal é explicitado, mas os realizadores não escondem que ele jogou sua vida e carreira no lixo quando seu lado truculento falou mais alto e o cantor mandou bater no contador que supostamente o estaria roubando. Ziraldo e Jaguar, do Pasquim, não tiveram dó em colocar Simonal nas páginas do jornal como se fosse funcionário dos milicos.
Outro DVD com o Rei da Pilantragem, lançado agora pela EMI, é “O Baile do Simonal”: um registro do espetáculo acontecido em agosto deste ano no Vivo Rio. Uma penca de convidados ilustres se perfilou para reviver, cada um a seu jeito, a obra de Simonal, incluindo aí Caetano Veloso, Ed Motta, Paralamas do Sucesso, Maria Rita, Marcelo D2, Samuel Rosa, Fernanda Abreu, Rogério Flausino e Orquestra Imperial. Max de Castro e Simoninha, seus filhos e que foram os anfitriões e idealizadores do evento, também dão o ar da graça.
Na trilha sonora de ambos, você encontrará as pérolas prediletas da Pitada na voz do Rei, tais como “Meu limão, meu limoeiro” e “Mamãe passou açúcar em mim”, além de versões inesperadamente autênticas, tais como “Sá Marina” cantada por Alexandre Pires, e “Tributo a Martin Luther King”, por Max de Castro.

Que 2010 venha repleto de inspiração, criatividade para fazer novas escolhas e, principalmente, com muito amor (e música!) no coração!

Comentários