Ir para conteúdo

Passapusso um passo à frente

Fotos:
|
Texto: RIOetc

[DJ Galalau] Foto: reprodução

Há algumas semanas, incluí a faixa “Paraquedas” na Rádio RIOetc, um samba encorpado com vozes em coro e o solene trombone que abre caminho para as próximas onze canções de “Paraíso da Miragem”, primeiro disco solo do baiano Russo Passapusso.

Roosevelt, seu nome de batismo, nada de russo tem, mas sim uma trajetória de 10 anos como músico e compositor e figura das mais ativas no circuito alternativo da cidade de São Salvador, ao lado dos companheiros do Coletivo Ministereo Público, que bebe na fonte dos sound systems jamaicanos com música nas ruas, o Bemba Trio e a banda BaianaSystem que juntou a herança da guitarra baiana com o reggae, dub e eletrônica. 

O álbum “Paraíso da Miragem” é uma espécie de turning point para Passapusso, sempre muito identificado com a cultura rap e reggae/dub. A faixa “Remédio” serve de bom exemplo para esta virada quando mira num rock setentista pós-Jovem Guarda, categorizando que “estamos doentes”.  Em “Flor de Plástico”, Russo canta em falsete – pra surpresa de quem acompanha sua carreira – sobre uma batida inevitavelmente reconhecida em discos do baterista, compositor e amigo, Curumin.

Mas a semelhança não é à toa. Foi Curumin um dos primeiros a ouvir as composições que Russo vinha guardando há tempos, e grande incentivador para que as gravações acontecessem no seu estúdio a cada visita de Russo a São Paulo. Após ser agraciado com o edital da Natura Musical, Russo Passapusso seguiu em frente na companhia do baixista Lucas Martins e do teclado de Zé Nigro, que juntos com “Curuma” – como Russo, carinhosamente, gosta de chamar Curumin – assinam a produção do disco e fazem parte da banda que acompanha Passapusso ao lado de Saulo Duarte (guitarra), Edy Trombone (trombone) e Maurício Badé (percussão).

Mas o roll de colaboradores não para por ai. “Anjo” tem as vozes de Laurinha e Clara, da ala de coro da Escola de Samba Nenê de Vila Matilde (SP), Anelis Asumpção canta em “Sem Sol”, assim como Thalma de Freitas em “Sapato” e BNegão e Fael Primeiro em “Autodidata”, faixa que reconecta Russo com a cultura hip hop e com as vozes de feirantes e repentistas das ruas de Salvador. E mais Marcelo Jeneci em diferentes canções e Edgard Scandurra na já citada “Remédio”.

Russo Passapusso ainda não tem datas agendadas para apresentações no Rio mas você pode conhecer um pouco mais sobre ele visitando o site , onde é possível baixar o disco gratuitamente, ou ainda conferindo sua performance ao vivo a frente do BaianaSystem que faz show, neste sábado, no Sesc Tijuca.

Comentários