Ir para conteúdo

Águas de março

Fotos:
|
Texto: RIOetc

[Galalau/Pitada]

O carnaval já passou faz tempo e deixou confetes, serpentinas e alguns corações partidos pelo caminho da folia. E, mais do que habitual, março está em pauta com suas históricas e poderosas águas para lavar a alma e abrir caminhos definitivos para o ano que enfim começa. É hora então de uma refrescada na Rádio RIOetc, que leva assinatura da Pitada.

O desafio aqui é equilibrar as influências do nosso Brasil continental com a usina criativa que emana de diferentes cantos do planeta. E pra fazer jus a esta engenhosa mistura, começamos com os irmãos Supla e João Suplicy, que assinam Brothers of Brazil e cantam em inglês. A dupla amadureceu seu repertório e traz “On My Way” como carro chefe de seu terceiro disco. Em “A Ordem das Árvores”, da Tulipa Ruiz, a novidade fica para a gravação ao vivo do projeto Ray-Ban Meet the Legends, que a aproximou da lenda Jorge Mautner.

Em seguida, Otto com uma das boas de The Moon 1111, álbum lançado ano passado, que passa o bastão para a dupla Wild Belle com “It’s Too Late”, encartada no disco Isles, que chega às prateleiras na próxima semana. A baiana Márcia Castro embala com a clássica “Preta Pretinha”, dos Novos Baianos e Harper Simon, filho de Paul Simon, chega com o sweet folk “Wishes and Stars”, parte da trilha da série produzida pela HBO, “Girls”. Continuando com o grupo carioca Mohandas, que faz homenagem ao carimbó paraense, a bela Kate Earl e seu pop rock em “Not the End of the World”, e o Afrobombas, projeto paralelo de Jorge DuPeixe (Nação Zumbi) com “Do Sal e Sol Eu Sou”, que conta entre os integrantes com Ramon Lira, filho do próprio Jorge, e Louise Taynã, filha do precursor Chico Science.

Ainda tem os californianos Electric Guest somados à dupla Pomplamoose num “mashup” do grande sucesso “Somebody That I Used To Know”, do Gotye, Two Door Cinema Club e The Asteroids Galaxy Tour, acompanhados do talentosíssimo Silva, da incursão da atriz e escritora Clarice Falcão pela música em “Oitavo Andar”, e Pedro Luís sem os companheiros da Parede.

Pra afastar os móveis da sala, Los Sebosos Postizos, projeto que une integrantes do Nação Zumbi com o Mundo Livre S.A. para interpretar clássicos do clássico Jorge Benjor, o electro swing do Parov Stelar e, fechando a tampa, os niteroienses da banda Tereza (que eu adoro!) com uma das ótimas canções encartadas no disco “Vem Ser Artista Aqui Fora”, de 2012. Dá play na rádio, aí na lateral do blog!

Comentários