Ir para conteúdo

MIA e representatividade

Fotos: Felipe Haua
|
Texto: RIOetc

@vrrrdi

Esse é o Allan Corsa, super tímido mas cheio de lições para ensinar! O Allan é estudante de Artes Visuais na Escola de Belas Artes da UFRJ, ele nasceu na cidade de São Gonçalo, pertinho daqui! Ele contou para gente que atualmente mora e trabalha no Rio de Janeiro. Além disso, ele faz experimentações com vídeo, fotografia e performance. Incrível, né?

O estudante ganhou um ingresso para curtir o  ArtRio e aproveitou para ver de perto como funciona a grande máquina das artes.  Encontramos ele fazendo stories no Instagram com trabalhos de amigos como @parayzo @rafaelbqueer @marcelacantuaria e @ygorlandarin. Uma das únicas coisas que mais impressionou Allan, foi a intervenção do artista MIA que pixou a palavra Negro dentro do pavilhão. “Acredito que essa forma de reflexão sobre este meio é legítima no ponto de vista de que a arte é algo muito mais além do mercado, e sim um lugar de reflexão sobre vida e das coisas que são dadas a nós por esse mundo. Ações como esta põem em questão lugares não palpáveis de reflexão, como também a representatividade de artistas negros em lugares elitizados. Sendo um estudante de artes negro, esta também é uma questão que me faz pensar, atuar e produzir neste meio. Obrigado @massive_mia pela referência, vou citar você em meus trabalhos!”

Aprendemos muito com Allan! Boa sorte!

Comentários