Ir para conteúdo

Marcas que você precisa conhecer

Fotos: Tiago Petrik
|
Texto: RIOetc

Nossa loja virtual abre as portas com algumas das marcas mais bacanas que você já viu. Duvida?

Aram
A Aram Joias  traz placas e anéis de prata inspirados em cinco contornos da cidade: Corcovado, Pedra da Gávea, Pão de Açúcar, Morro Dois Irmãos e Arpoador. Idealizadas pela designer Martha Allemand, as peças traduzem sua paixão pelo Rio e buscam uma estética simples e contemporânea. Mas sua produção vai muito além do incomparável skyline carioca.

Calma SP
CALMA é uma marca criada pela designer Kelly Kim em 2018. Unissex, sem gênero e monosize, as roupas da Calma são únicas, coloridas, alegres e feitas com amor. Cada roupa da CALMA é feita à mão e com alma, em seu ateliê na Vila Madalena, São Paulo. Desde a compra dos tecidos até a última costurinha, cada etapa do processo é feita no Brasil com produtos de qualidade.

Catarina Mina
Catarina Mina é uma marca que já conta 12 anos de estrada, sempre focada em quem produz, e que concentra seus esforços em questionar, repensar, refletir e tomar decisões levando em consideração um coletivo. Uma moda que se sustenta em um futuro de colaboração muito mais que de disputa. Catarina Mina é a primeira marca brasileira a expor todos os custos de produção, com o objetivo de valorizar os designers e artesãos envolvidos no processo. Cada bolsa feita à mão vem com um bilhete da artesã, demonstrando todo o cuidado e respeito desde a escolha da matéria-prima até o momento de compra.

Es Lo Que Hay
Formada em Design de Produto e Gráfico pela PUC-Rio, Adrianne Schreiner passou mais de uma década comandando a própria agência cultural sem sequer imaginar que o Design Têxtil seria o seu “carro chefe”. À frente da antiga empresa, ela fazia de cenografia a fotos para iniciativas ligadas à arte como shows, peças de teatro ou apresentações de dança, até que num anseio de mais conhecimento, foi estudar Design de Superfícies em Madrid, no Istituto Europeo di Design – o pontapé inicial para fundar a Es Lo Que Hay, que produz cangas, lenços e echarpes. As estampas são desenhadas à mão, de tiragem limitada e com materiais totalmente veganos.

Estúdio Ripa
Ripa é aquele pedaço de madeira mais longo e estreito, normalmente gerado do descarte de produções maiores. A sacada da Gabi e do Mairê, jornalista e designer de produtos respectivamente, foi utilizar as ripas de marceneiros e designers conhecidos pra produzir as joias do Estúdio Ripa. A experimentação do Mairê com a madeira veio na mesma época em que a Gabi decidiu fazer um curso de joalheria. Dali, começaram a produzir em madeira pra
depois associar com a prata.

Huge
Desde pequeno, Hugo Pessoa Lopez sempre foi… pequeno. Seus amigos logo o apelidaram “Huge” (enorme, em inglês). Ele assumiu a alcunha sem se chatear. Hoje, aos 26 anos, do alto de seus 1,67m e 54 quilos, é o feliz marido da Thaís Akina, com quem toca a  Huge , marca de camisetas pintadas à mão – cada peça é única.

L.Ô.H
A campista Mary Monteiro sempre gostou de desenhar, mesmo vindo de uma família sem muitos recursos para comprar materiais. Pequena, pegava carvão do fogão de casa e fazia suas artes em qualquer papel que encontrasse. Veio morar no Rio aos 11 anos, adotada por sua mãe, uma estilista. Passos que ela seguiria apenas depois de aposentada – formou-se contadora e exerceu essa profissão até 2015, quando criou a L.Ô.H. A marca traz peças artesanais feitas com tecido e crochê, confeccionadas apenas por mulheres (incríveis), que produzem cada uma com amor e carinho. As colaboradoras (atualmente são cinco) assinam as tags da marca, mostrando exatamente quem fez o trabalho.

Mariana Cotrim
Foi por acaso, quase de brincadeira, que Mariana Cotrim se apaixonou pela ideia de fazer bolsas de couro. Acabou criando a marca que leva seu nome. Num processo criativo lúdico – ela testa protótipos em cartolina –, queria bolsas que seriam para seu próprio uso. Mas, incentivada pelas amigas fãs dos produtos, procurou parceiros para a fabricação, toda manual. Em casa, com o papel, Mari testa a mistura das cores, assim como as formas geométricas, sempre presentes em suas bolsas. O resultado são itens que “combinam a alegria e o jeito descolado dos cariocas com elegância e versatilidade”, como bem descreve a criadora.

Meias 6
Fundada em 2012, no Rio de Janeiro, pelo designer Rodrigo Leme, a Seis nasceu com o objetivo de romper o inexplicável monopólio das meias brancas e sem graça que passeavam pelos pés dos brasileiros. Para isso, a Seis enxerga as meias como suporte para a experimentação gráfica de padrões e cores, desenvolvendo meias divertidas, cheias de personalidade e de alta qualidade  – como nunca antes visto no mercado nacional. As peças
têm uma trama extremamente confortável e resistente – ponta de pé e calcanhar são reforçados –, com costura de ponta invisível, punho soft (para não te apertar!) e passam por uma pré-lavagem especial dupla: ou seja, nada de meias encolhendo e desbotando por aí!

Min
Paulo Luz é designer gráfico formado pela PUC-Rio. Como bom desenhista, começou a flertar com a estamparia, criando camisetas. Pouco depois, tornou-se estilista. Ao criar a sua própria,
chamada Pluz Brasil, foi selecionado como um dos novos talentos para o desfile do Rio Moda Hype em 2007. Ganhou o prêmio de melhor daquela edição, e de quebra uma pós no Senai Cetiqt, que o ajudou a conhecer mais de técnica. Depois, passou quatro anos na Richards, passando por todos os tipos de produto. A última etapa foi a alfaiataria. Isso o motivou a ir para Londres, em 2014, onde cursou um mestrado na London College of Fashion. A concepção da Min – o nome vem de minimalista, conceito visível imediatamente – veio na volta. Todas as peças são produzidas em fibras naturais, proporcionando frescor e sem deixar tantos resíduos no meio ambiente.

Mudha
A Mudha começou a ser pensada há muito tempo, mas só em julho de 2016 ela passou de uma ideia para um projeto. A partir daí, foram meses de muita pesquisa e estudo para aplicar o conceito de sustentabilidade à moda. Criada por uma administradora e uma publicitária – ambas com interesse por questões sociais e ambientais –, a marca conta com seis pilares: slow, local, com impacto social, sustentável, justo e vegano. Bom gosto, responsabilidade social, ambiental e consumo consciente podem andar juntos. Mais do que isso: essa combinação é o único futuro viável para a indústria da moda.

Nuni Acessórios
“Esta peça foi feita com tanto amor, que cada vez que você usar, algo fantástico irá te acontecer! E então, você vai querer usar todos os dias!”. São esses os dizeres que você encontra ao comprar uma peça da  Nuni Acessórios , marca de acessórios e bijoux da Ana Petrik. “O que mais gosto é de misturar materiais: cordas, resina, metal, acrílico…”. O resultado são brincos e colares coloridos, leves e cheios de autenticidade. Afinal, muitos desses
utensílios são retirados de lugares não habituais para as bijuterias, como peças de cortinas ou achados pelas andanças da Ana.

Poch

Pochetes cheias de humor e descontração. É isso que a Poch traz pra você. Desconstruir aquele look convencional e transformar numa forma divertida de expressão através de suas pochetes.

Re-Roupa
A palavra de ordem aqui é: reutilizar. Sabe aquela roupa velha que você não usa mais? Ou aquela que algum parente te deu mas, por algum motivo, não lhe serve? Pois bem, essas mesmas são consideras matérias-primas pra Gabriela Mazepa, estilista do projeto  Re-Roupa . A ideia é transformar o que foi esquecido em peças únicas, levando também em consideração qual a história por trás de cada uma delas. Através de oficinas, cada participante leva a sua roupa e voilá: uma peça novinha em folha!

Santa & Nuvem

A Santa e Nuvem é uma marca de roupas femininas que busca traduzir a leveza e a fluidez do feminino em roupas que abraçam o corpo, respeitando espaço e movimento. São peças criadas em pequena escala, valorizando a mão de obra local e matéria prima brasileira. Feita por mulheres, para mulheres que se apropriam do que vestem como forma de expressão e reafirmação, nossas peças e estampas celebram o feminino e seu espaço no mundo, conectando força e sutileza como um respiro de criatividade em meio ao caos. Nascemos em 2016 e, desde então queremos deixar o mundo ao redor mais bonito, solar e alegre.

Sobrebarba
Sobrebarba é a primeira empresa 100% brasileira feita por barbudos para barbudos! E quem é barbudo sabe o quanto pode ser chato manter a barba bem cuidada. E passar shampoo e condicionador de cabelo no rosto não é nada legal. Por isso que, lá no início de 2014, eles começaram a testar alguns produtos gringos específicos pra barba. Fizeram muita diferença! O problema é que eles praticamente não existiam no Brasil e eram muito caros pra importar. Foi aí que nasceu a ideia de lançar uma linha de produtos criada especialmente pra barbudos no Brasil. Foram meses de desenvolvimento e testes em barbas de verdade (nada de animais). Os produtos também têm ingredientes de origem vegetal, nada de origem animal.

Vitalina

A marca de calçados e acessórios Vitalina é produzida por artesãos do sertão nordestino, para clientes que buscam conforto e qualidade nos produtos e que valorizam a cultura regional.

Zerezes
A Zerezes nasceu da vontade de fazer as coisas de um jeito diferente. A marca acredita que muitas lógicas de mercado não têm mais tanta lógica assim; que relações entre fornecedores, marcas e clientes se constroem com diálogo e generosidade; que materiais sem uso podem ser ressignificados. Criada em 2012, a marca fomenta desde então práticas de trabalho e comércio justas através da criação e capacitação de um arranjo produtivo local, mergulhando fundo no reaproveitamento de materiais, usando o design a favor da criação de produtos de qualidade e experiências incríveis. Um negócio que não tem o lucro como principal fim. Tanto faz gostar de óculos redondo, quadrado ou gatinho. O que importa mesmo é consumir boas práticas.

 

Comentários