Ir para conteúdo

Herança e legado

Fotos: Bel Corção
|
Texto: RIOetc

Saem os atletas, fica o legado. Termina hoje, na Praça Duó, o Oi STU Open 2018, competição que garantiu aos melhores colocados uma chance de disputar os Jogos de 2020, em Tokyo. Engana-se, porém, quem pensa que o objetivo do campeonato é apenas melhorar a classificação dos skatistas profissionais. Através de iniciativas de revitalização, como foi o caso das pistas reformadas pela Rio Ramp Desing, os atletas locais ganham de presente uma plataforma que possibilita a profissionalização, reúne ainda mais a comunidade, e, quem sabe, os coloca na linha de frente das próximas edições do Oi STU.

Por enquanto, as competições não estão nos planos do Luis Felipe, mais conhecido na praça como Zaruzinho: “a minha maior felicidade no skate é mandar manobra. Se errar, é só tentar de novo.” Se depender do pai Luis Henrique, o Zaru, a união que os dois formaram nas pistas está acima de qualquer colocação: “Todo pai que anda de skate quer que o filho acompanhe, mas às vezes não é o que a criança quer. Eu não posso impor, mas trazer ele comigo, ver ele andar com facilidade e principalmente se divertindo, é o que eu mais gosto na vida”.

Comentários