Ir para conteúdo

DoAmor

Fotos: Wendy Andrade
|
Texto: RIOetc

[Wendy Andrade]

Desde jovem sempre me interessei por relacionamentos. Tudo começou com os romances da minha mãe que ocupavam quase toda a estante da sala. Me deliciava com histórias que não eram para serem lidas na minha idade. Depois de um livro escondido, eu já estava envolvido e só me restava o desejo de ler os outros. Isso me afastou dos gibis e do vídeo game, que acabaram não despertando o mesmo interesse em mim que despertavam nos meus amigos. Com o passar do tempo, relacionamento se tornou tema cada vez mais presente nas minhas conversas. E entre lágrimas e sorrisos, sempre me divirto com as histórias tentando imaginar por que a menina não quis mais ou por que o carinha não falou nada depois do sexo. Nesse jogo de querer descobrir o que o outro pensa, me deparei com os contos do Jader Pires.

Sabe a dor no coração pelo “não” que ela te deu? O Jader está escrevendo. Sabe aquela paixão do metrô que você nunca mais vai ver? Jader está escrevendo. Sabe aquela paquera mal resolvida do ensino médio? Jader está escrevendo. A ex, atual, amante, ficante? Jader sabe disso tudo. E melhor, está escrevendo. A capacidade que as suas histórias têm de aproximar é impressionante. A cada texto, as pessoas correm para os comentários e, num misto de amor e ódio, xingam e exaltam o Jader. Mas não vai pensando que o Jader é legal, nada de esperar final feliz. Dói, mas é gostoso. Jader descreve  com riqueza de detalhes tudo que antecede o ato em sim. A escolha da roupa para vê-la passar, o nervosismo que deixa mudo, o coração batendo forte, a mão na cintura, o beijo no canto da boca, o olhar, a mensagem não respondida. Ficaria um dia aqui falando de tudo que o Jader escreve com maestria. E se eu fosse indicar qualquer leitura esse ano, ou ano passado, ou ano que vem, diria: leia o livro DoAmor.

E fica a questão: como é que uma coisa assim machuca tanto?

Comentários