Ir para conteúdo

Muito prazer, Re-roupa

Fotos: Tiago Petrik
|
Texto: RIOetc

É até estranho falar, a essa altura, “muito prazer” para o projeto Re-Roupa. Afinal, já somos fãs do trabalho da Gabi Mazepa há tempos. Recentemente contamos, com as palavras dela, mais um pouco sobre a ideia.

Mas nesses tempos sombrios, coisa boa não custa nada repetir. Ainda mais agora que a marca – que não é exatamente uma marca – tem suas peças à venda na loja do RIOetc.

“Eu nunca quis ter uma marca. E apesar de o Re-roupa estar aí na loja como uma marca, não é uma marca. É um projeto que realiza processos diversos pregando duas coisas: roupa feita de roupa e outros trabalhos manuais. São coisas feitas por pessoas, gerando renda para essas pessoas e desenvolvendo novos processos criativos com elas”, explica a Gabi. 

A ideia nasceu na época em que sua criadora foi estudar Belas Artes na França. Uma das matérias exigia que a a matéria-prima para a execução do projeto fosse tecido. “E o meu projeto já era o Re-Roupa. Já me deu esse estalo, porque eu saía pegando as roupas das pessoas e contando as histórias delas. Foi meu projeto de graduação final. Fiquei na França por um tempo, mas sempre com o desejo de voltar para o Brasil, porque tinha noção de que seria possível espalhar essa ideia, trabalhar mais com projetos sociais. Escolhi o Rio para morar [hoje ela está em São Paulo]. E aí foi acontecendo, com oficinas no quintal da minha casa. Depois, no Senac, no Sesc, no IED, lugares assim. E comecei a trabalhar com marcas também. Já fizemos com a Farm e a Duas, e agora em 2019 vai sair a primeira coleção com a Fábula”, conta. 

O resultado são peças únicas. E, claro, menos resíduos. Palmas pra Gabi!

Comentários