Ir para conteúdo

Muito prazer, Biombo

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Fotos: Tiago Petrik

[Manu Porto]

Ela é formada em Engenharia de Produção, ele em Administração. Os dois, que tinham em comum a paixão pela moda, se conheceram na sala de aula do Senai, segunda faculdade e desafio que acabou ligando todas as pontas. O encontro foi inesperado: no primeiro dia de aula a turma foi dividida em duplas, que se juntaram pelo ano de nascimento. 1991, 1992… e eles, veteranos, acabaram sobrando juntos. Era pra ser.

A Mônica já amadurecia a ideia de criar uma marca na cabeça e, quando chegou a conclusão que precisava de uma dupla, chamou o Michel pra conversar. Foi no Plebeu, em Botafogo, que os dois alinharam suas ideias, sonhos e demandas e descobriram que se completavam, tanto no ideal como nas necessidades de gestão. Aí surgiu a Biombo que, seis meses depois, nesse último sábado, já lançava a sua primeira coleção.

A marca supre uma demanda das cariocas que não são praianas, são mais urbanas, mas ainda assim solares. É a menina que frequenta os bares em Botafogo, Humaitá ou Urca, que curte cores e também cortes elegantes. O nome, inclusive, surgiu de um brainstorm no Túnel Rebouças (nada mais urbano), e evoca a flexibilidade e a geometria que um biombo, com sua estrutura angulosa e maleável, tem. Também traz uma sensualidade sutil, presente nos pequenos detalhes, cortes, vazados e fendas que mostram só o suficiente pra fazer um mistério. Se você pensar, a menina que troca de roupa atrás de um biombo pode ser vista através das frestas, da silhueta, mas nunca inteira e óbvia. Nada mais sensual, não né?

A marca combina estampas exclusivas, paixão de Mônica, modelagem diferenciada, empenho de Michel, e mistura de materiais, empolgação dos dois curiosos que, durante o processo de criação, tiveram acesso a todo o tipo de tecido e passaram a pesquisar e conhecer. As estampas são feitas por eles e enviadas para uma estamparia em Belo Horizonte, onde são impressas no tecido. Já os modelos são produzidas por duas confecções: uma especializada em peças planas (de tecidos que não esticam, como jeans) e outra que faz as malhas.

A primeira coleção, Jardí de Rajoles, é inspiradas nos ladrilhos hidráulicos de Barcelona. Foi concebida depois de uma longa pesquisa de público alvo quando mandaram questionários qualitativos (e longos!) para amigos selecionados. O resultado foi que a cidade catalã era unanimidade entre a galera e todo esse calor e efervescência foi sintetizado nos ladrilhos, que também ganha um toque do tropicalismo brasileiro.

Por enquanto eles atendem com hora marcada no ateliê no Humaitá, pelo telefone (99679-7177) ou pelo email ([email protected]). Mas logo vem loja online por aí. Enquanto isso, pode dar uma espiada no vídeo produzido pra estreia: http://vimeo.com/78988234.

Comentários