Ir para conteúdo

Muito prazer, Caio Paiva

Fotos:
|
Texto: RIOetc

[Bruna Sussekind]

Nascido em 1998, o artista plástico Caio Paiva sempre esteve em contato com pinturas e desenhos. Seu pai, Miguel, cartunista e também artista plástico, foi a maior influência para ele mergulhar dentro do mundo das artes. “Eu e meu pai temos uma relação forte de artista. Ele recentemente começou a pintar em tela, por causa de mim inclusive, então é quase como se fosse uma coisa “nova” para nós dois, apesar de não ser ao mesmo tempo”.

Por causa disso, sua relação com a pintura foi natural, ele apenas resolveu começar a pintar e não parou mais. Caio tem como suporte principal a pintura em acrílica em grandes dimensões, fazendo um estudo sobre as possibilidades dos corpos, gêneros, texturas, cores e sentidos que as imagens ao seu redor lhe proporcionam. Além da pintura, Caio toca baixo há cinco anos e atualmente é integrante da banda Ritalines.

Ele trabalha na Galeria Luciana Caravello Arte Contemporânea e, quase sempre após o trabalho, passa no seu ateliê em São Conrado. “Vou pra lá no mínimo três vezes por semana. É uma casa em obra, por isso não tem muitos recursos, mas eu gosto de ficar lá pintando, tocando e conversando com os meus amigos. Não é muito ortodoxo e é ao mesmo tempo. Eu me sinto muito livre pra fazer tudo do jeito que eu quiser”.

Ele e sua amiga Eduarda Freire começaram a pintar juntos, sempre influenciando um ao outro. Por isso, os dois criaram a exposição “Hesnoisesloco”, tendo como pilar a relação entre os dois e deles individualmente com o mundo em que vivem, com as pessoas ao redor, com as relações que eles têm e lugares da cidade em que pisam. Um pouco do Caio, um pouco da Duda, um pouco dos dois. A abertura da exposição, que será na Casa Azul, no Humaitá, vai ser dia 15 de agosto, das 19h às 22h, e vai rolar até o final de setembro.

_DSC1825 _DSC1805

Fotos: Bruno Machado

Comentários