Ir para conteúdo

Explosão de cores

Fotos:
|
Texto: RIOetc

 

Fotos: Juliana Rocha

[Nathália Neri]

Na divisa entre Ipanema e Copacabana, em um prédio antigo, fica o apartamento de Bebel Franco. De longe, no corredor, o som de Louis Armstrong e Ella Fitzgerald nos leva até a porta onde ela mesma nos recebe com um sorriso enorme. E antes que a timidez possa me ganhar Bebel já começa a falar e contar histórias. Acomodo-me em um sofá cheio de almofadas e fico sem saber pra onde olhar. A mistura de cores e informações é fascinante. É a Disney dos apartamentos.

Na companhia do Matias, o cocker spaniel, Bebel começa a nos mostrar o apartamento. Nas paredes, em todos os cantos e nos objetos, suas cores preferidas: rosa, laranja e vermelho. A parede da sala de jantar, aliás, foi ela mesma que pintou. Na mesa, as cadeiras de madeira são decoradas com adesivos do Coletivo Gráfico e na ponta, a presença de um esqueleto simpático adquirido na Festa dos Mortos, no México. Ainda na parede da sala de jantar, quadros emolduram lenços da artista francesa Nathalie Lété. Bebel é assim, faz tudo virar decoração. “Se você gostou então compra, vai servir pra alguma coisa”, disse dando risadas.

Na espaçosa sala, a mesa de centro é decorada com livros, velas, caveiras mexicanas, bonecos de porcelana arrematados nas lojas da Saara, uma miniatura rosa da Torre Eiffel e um anão malcriado. Ao lado do sofá, pelicanos rosas comprados no site da Urban Outfitters. Ela logo avisa: “Esse negócio de comprar pela internet é um vício”. Na estante, uma coleção de noivos arrematados na Saara, o outro vício da artista. Bebel é daquelas que não tem medo de arriscar: pôsteres, fotos, colagens, tecidos, tirinhas da Mafalda, tudo junto e misturado. A cultura brasileira e mexicana é representada através de artesanatos, quadros de artistas cearenses, uma boneca da Carmen Miranda e a figura de Frida Kahlo.

Em um dos quartos fica o seu ateliê, local de inspiração e de fuga para as noites de insônia. Na parede, trabalhos de sua autoria, colagens e referências. Na mesa e no chão, tintas e pincéis. Na estante, uma máscara da Mulher Maravilha e uma infinidade de livros de grafiteiros, artistas contemporâneos, fotógrafos e até uma enciclopédia infantil arrematada em um sebo por R$10. Uma plaquinha diz “There is no place like home”. E Bebel de fato gostar do lugar que escolheu para chamar de lar. Na sua “bagunça-organizada”, se encontra facilmente. O corredor é cheio de vida e cheio de fotos também. Mãe coruja, a filha está presente em quase todos os momentos emoldurados na parede. No quarto, uma cama branca que ganha cores com as almofadas e um lustre de deixar qualquer um com vontade de ter um igual. E o que falar do armário? Roupas monocromáticas não entram. Bebel é mesmo das estampas.

Atenciosa, nos mostrou alguns de seus trabalhos e contou um pouco da sua história. Nasceu em Montividéu, morou na Colômbia e em Paris, onde estudou moda. É apaixonada pelo México e pela filha. Anda fazendo aulas de Lindy Hop e quer saber quando será a próxima Manie Dansante (vamos avisar!). Ela é cheia de personalidade e nada melhor para defini-la do que seu apartamento. Para conhecer um pouco mais sobre o trabalho da Bebel é só clicar aqui. Ah, você provavelmente já comprou uma de suas estampas na Papel Craft :)

Comentários