Ir para conteúdo

Era uma casa muito engraçada…

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Fotos: Juliana Rocha

[Manuela Porto]

… Não tinha teto, não tinha nada. Mais ou menos assim começou a odisseia da Vila Garibaldi, casa escondida na estrada do Joá que faz barulho nas artes. Ali moram Peu Melo, artista plástico e designer, Karina Zeviani, que acaba de voltar ao Brasil – depois da sua passagem fora como vocalista do Nouvelle Vague – e lançar o disco Amor Inventado, e Juliana Miari. Os moradores dividem seu espaço com os estúdios de Rafael Uzai, artista plástico e urbano, Vicente Tigre, diretor de arte, designer gráfico e ilustrador, Olavo, Breno Moreira e a tatuadora Thais Valente, que acaba de abrir seu estúdio de tatuagens ali mesmo. Fora o ateliê do próprio Peu.

A casa, que é gigante, passou 30 anos fechada. E, quando os meninos resolveram “ocupar”, a missão parecia impossível e  o lugar inabitável. Mas a reforma, feita por eles mesmos, passou a fazer parte do trabalho, do cotidiano e da vida. A sensação de que o espaço ainda precisa de acabamentos faz a vibe do lugar: em constante movimento, constante construção e criação.

Na casa do Peu, por exemplo, todos os móveis foram feitos por ele. E o pinho, madeira que é marcante no seu trabalho, foi a matéria prima principal. Ali, inclusive, a troca de linguagens e  influências é rica, e os trabalhos colaborativos acontecem naturalmente, sem acordos estabelecidos: não é uma casa de coworking, não é uma cohousing, é uma casa de artistas.

Aí embaixo, por exemplo, você assiste “Uzai et sa cachette secrète”, vídeo feito por Breno Moreira com Rafael Uzai de  protagonista e a casa como cenário:

http://vimeo.com/59014516#

Na galeria, que fica onde poderia ser um enorme garagem, também acontecem exposições, na maioria das vezes acompanhadas de eventos e jam sessions do Shibatonics, banda que nasceu na casa, formada pelos artistas plásticos Noé Klabin, Antonio Bokel, Peu Mello, Duda Gaspar, André Coelho, Juarez Escosteguy, Bernardo Ramalho, Marcos Correia, Dudu Viegas, Antonio Fabris e quem mais quiser se juntar.

No fim, a ideia é essa mesma: agregar, juntar, compartilhar. Tudo em família!

 

Comentários