Ir para conteúdo

Cheio de vida

Fotos:
|
Texto: RIOetc

 Fotos: Juliana Rocha

[Nathália Neri]

Um prédio antigo e charmoso em uma silenciosa rua do Alto Leblon. É ali que vive a designer gráfica Gisela Pecego, que para nós, já é de casa. Entre nossos encontros casuais, conversas sobre trabalho e novidades, resolvemos conhecer um pouco mais o seu lugar de aconchego familiar e também de trabalho.

Gisela nos recebeu com um sorriso estampado no rosto. Ela é cheia de vida e seu apartamento não poderia ser diferente. Impossível entrar ali e não se encantar. É uma mistura de cores, estampas, quadros, livros e pequenos objetos decorativos. Mas, se pudesse descrevê-lo em uma palavra, seria essa: iluminado. Ali, existe luz por todas as partes. Não só pelas luminárias de diferentes formatos e cores, como também pelo sol que entra pela varanda e aquece.

O apartamento, que ganhou projeto de arquitetura de Patricia Landau e Carolina Escada, é recheado de histórias. Recordações do período em que estudou na Europa estão nas paredes em forma de pôsteres, como o da exposição de Klimt no Leopold Museum.  Também não faltam as lembranças do casamento. Homenagens de amigos, como um quadrinho da fotógrafa Kitty Paranaguá, que retratou Paraty, lugar que o casal se conheceu. Ainda nas paredes, quadros de Volpp, Gabriela Machado e livros de referência para pesquisas e ideias. As viagens também fazem parte desse ambiente de histórias. O tapetinho verde da varanda veio de Bali e o outro, de zebra, veio diretamente da África, um presente da mãe.

Pra levantar ainda mais o astral, cores por todos os lados. Na varanda, as cadeiras laranjas de Sergio Rodrigues se misturam com o verde da cadeira africana da LZ Studio e ganham o toque final com as almofadas estampadas por ela mesma e também por Andrea Marques. E o que dizer das plantas, flores e mini-cactos? Nem precisava! Dali a vista é para o verde das montanhas, para o mar e horizonte.

No final da visita tivemos uma surpresa. Valentina e José Francisco apareceram pra animar a casa e ajudar a mãe com a brincadeira que fizemos no estilo do site The Burning House. Se a casa pegasse fogo, Gisela salvaria o coração, que deu de presente de para o marido; os livros, que trazem um pouco de surrealismo e inspiração; o bonequinho, que simboliza a união do casal; a almofada, como referência as estampas que cria e o quadrinho de porcelana, que retrata um momento do casamento. Mas calma, é tudo brincadeirinha!

Gisela é muito família. Fez do seu lar o seu lugar de trabalho. Tudo pra ficar perto da principal fonte de energia: os filhos. E se a casa emana tanta energia positiva é porque risadas e peripécias infantis não faltam por ali <3.

Comentários