Ir para conteúdo

A primeira WeWork carioca

Fotos: Wendy Andrade
|
Texto: RIOetc

Janelões do teto ao chão e uma vista que só o Rio de Janeiro pode proporcionar: é assim o mais novo escritório da WeWork, rede internacional de coworking, que abriu suas portas na última semana no Rio. Ambientes comuns aconchegantes, aquários de variados tamanhos e salas de reunião bem equipadas também fazem parte dos seis andares que a empresa vai ocupar no prédio na Av. Almirante Barroso. 81, Centro. “Sob o ponto de vista de Design, todas as unidades da Wework no mundo trazem elementos que remetem especificamente à região onde os prédios são estabelecidos. Na WeWork Carioca misturamos o Brasil antigo (colonial e clássico) e o movimento modernista do país, tendo um dos representantes o arquiteto paisagista Roberto Burle Marx”, conta Pato Fuks, CEO da América Latina. O espaço ainda conta com um mural pintado a mão pela artista carioca Larissa Quaglia.

Mas o que pode parecer um coworking como qualquer outro possui um diferencial. A WeWork ainda conta com um aplicativo para seus membros, o que permite interações profissionais para além das trocas pelos corredores. “Os fundadores da empresa, Adam Neumann e Miguel McKelvey, tem um histórico muito forte de convivência em comunidade e isso foi aplicado ao DNA da empresa e priorizado desde a sua fundação. Virtualmente, existe um aplicativo que possibilita e estimula que todos os nossos mais de 175 mil membros espalhados por 20 países possam interagir e fazer negócios entre si (número que já chega a 60%).” E não são poucos os casos e histórias de negócios fechados pelos corredores e pelo próprio aplicativo.

Em 2018, outras duas unidades serão inauguradas: em Ipanema e Botafogo. E não pense que somente sendo uma grande empresa pra garantir seu espacinho ali. Eles têm planos mensais até mesmo para freelancers e empreendedores individuais que não curtem tanto trabalhar de casa. “São pessoas que querem, cada vez mais, estar em ambientes dinâmicos, inspiradores, com espaço para convivência e troca de experiência.”

Comentários