Ir para conteúdo

A casa azul e branca de Rafael Ayres

Fotos:
|
Texto: RIOetc

[Francesca Leta]

Em uma ruazinha sem saída no Jardim Botânico o apartamento de Rafael Ayres nos faz esquecer do caos da cidade. A luz do entardecer entra pelas grandes janelas e ilumina todo o duplex com um tom dourado.

Rafael é mineiro e com 26 anos veio para o Rio. Trabalhou 12 anos com engenharia, mas sempre teve uma queda pela fotografia. Foi por conta dela que começou a faculdade de design aqui. Hoje, ele é designer e já teve duas empresas. Agora trabalha há um ano e meio de casa, com a equipe nas nuvens.

Há quinze anos se mudou para o duplex e junto com o arquiteto Antônio Claudio Souza Leite pensou em cada parte do apartamento. No primeiro andar ficam a cozinha, a sala, o quarto e seu escritório. Por trabalhar de casa, o escritório é confortável, aconchegante e pode virar quarto para os hóspedes. Aliás, quando estávamos lá, logo mais ele iria viajar e seu primo já estava chegando para curtir a casa durante o final de semana. Rafael participa do Airbnb e recebe hóspedes de todo o mundo – sorte a deles.

Subindo a escada (e que escada!), chegamos a uma sala de estar toda decorada de azul e branco. Foi aí que percebi a paleta de cores recorrente em toda a casa. Até encontramos outros tons, porém a dupla é a mais presente. “Minha paixão por essas cores vai além de meu entendimento e começou há muito tempo. Este quadro, que pintei com 22 anos, já mostra o meu interesse pelas cores., explica Rafael sobre o quadro monocromático azul.

O terraço do apartamento fecha com chave de ouro: piscina com vista pro Cristo. Rafael diz que aproveita o espaço externo todos os dias, mesmo no frio. Gosta de receber os amigos com vinho e algumas comidinhas, mas nada muito elaborado. A intenção é curtir o ambiente mesmo.

A maioria dos objetos da casa foram sendo adquiridos com o tempo, muitos vieram de viagens e carregam história. Um móbile de Nova York, uma pipa da Tailândia, presentes da Grécia e por aí vai. Mas o seu objeto mais afetivo é uma taça laranja, que sua mãe lhe deu. “Essa aí é meu xodó, tenho muito ciúmes!”. Aliás, Rafael adora taças e tem de diferentes tipos e formatos, mas a maioria de cor (adivinha?) azul.

A parte favorita da casa é a poltrona que fica no andar de cima – que ele está na foto. “Quando chega o final do dia gosto de vir para cá, ligar uma música, ler e aproveitar a luz que vem da piscina.” Por falar em música, toda nossa conversa foi acompanhada de um som ambiente criando um clima ainda melhor. “ Acho que a música nos conecta com algo que nem nós sabemos explicar”.

Rafael deixa sua mineirisse transparecer no sotaque e na forma de receber. Nos sentimos em casa assim que tiramos os sapatos. Apesar de seu apego e carinho com os objetos e com o apartamento, Ayres acredita que tudo se renova e se reforma, que não devemos nos prender tanto aos bens materiais. Mas se for para ter apego, que sejam azuis e brancos!

Fotos: Bruno Machado

_DSC3891ok_DSC3992ok _DSC3840ok _DSC3844ok _DSC3847ok  _DSC3923ok _DSC3929ok _DSC3930ok _DSC3932ok _DSC3940ok _DSC3943ok _DSC3945ok _DSC3948ok

Comentários