Ir para conteúdo

Cozinhar é um ato de independência

Fotos:
|
Texto: RIOetc

[Carolina Tardin]

O que mais é a criatividade a não ser se deixar levar por ideias e misturas mirabolantes? Essa liberdade de mesclar universos distintos e transformar comida em arte – sim! – é o que a doceira Raiza Costa faz com o pé nas costas.

Quem a acompanha seu programa no GNT, o “Rainha da Cocada“, ou pelo Gshow, na websérie do Dulce Delight, sabe que a moça não mede esforços pra bolar receitas que são de comer com olhos. Tudo é muito colorido e inspirador.

Raiza começou pequena a fazer alguns doces pra agradar o pai – um contraponto da mãe que era adepta da culinária vegetariana e natural. “Acho que pelo fato da minha mãe ser tão radical, isso acabou gerando em mim uma curiosidade pelo mundo obscuro dos doces.”, brinca Raiza, que há cinco anos lançou seu canal no Youtube. “Eu comecei filmando em casa mesmo, fazendo receitas. Queria criar uma coisa que fosse uma referência jovem de arte com comida” – algo que era quase inexistente na época, uma vez que os programas culinários ainda eram bem segmentados pro público das donas de casa.

Há oito anos Raiza se mudou para Nova York e em 2009 surgiu o Dulce Delight, seu site, todo em inglês. “Quando cheguei em NY, vi que o poder aquisitivo das pessoas era muito alto e ninguém cozinhava. Era muito triste e aí eu me senti mais impulsionada ainda a fazer algo que inspirasse as pessoas”, ela explica.

Nesse tempo, foi convidada em 2013 a fazer parte do círculo da Martha Stewart, uma reunião de influenciadores em que ela se inspira pra trocar e gerar conteúdo. Também foi chamada a fazer parte do canal do Jamie Oliver no ano passado e as versões do Dulce Delight em português.

Sua formação em Artes Visuais e o interesse por audiovisual faz tudo ficar diferente do que a gente é acostumado a ver por aí. O processo criativo não tem receita – todos os episódios têm temas e a escolha deles pode vir antes ou depois da escolha do doce. Seus vídeos têm roteiro e o esquema é praticamente cinematográfico – o cuidado com a produção e a estética de cada programa é enorme. Tudo é muito autoral – ela dirige, faz a direção de arte, o roteiro de edição e a seleção das músicas. Raiza também aquarela os doces antes de fazê-los para testar a composição deles (mas esses ela não costuma postar muito!).

Entre os temas, já teve até receita inspirada no livro Les Diners De Gala, do Salvador Dalí, uma raridade com apenas 400 exemplares no mundo todo. Nesse caso, “O ovo era um ingrediente muito importante porque representa o renascimento, um ícone muito importante nas obras do Dalí. Mas eu não queria fazer apenas uma receita que tivesses ovo, porque isso todas levam. Aí eu inventei de fazer um bolinho que era assado dentro do ovo”, ela explica.

Pra esse ano, já podemos esperar o primeiro episódio da segunda temporada no “Rainha da Cocada”: ela garante que vai ter muita bagunça na cozinha e mão na massa. A receita vai ser de bolo melado – um bolo de chocolate que não leva farinha. Mais pro meio do ano, lá pra agosto, deve sair sua parceria com o Senac em seu primeiro livro!

A gente já pode esperar um mesclado do seu universo criativo, reunindo fotografias feitas por ela, receitas selecionadas e quem sabe até algumas dicas do “Lancelote”, o yorkshire que tá sempre ao seu lado. E claro, muita cor!

_DSC4898 _DSC4922_DSC4918

Fotos: Bruno Machado

Comentários