Ir para conteúdo

Conflor e sem culpa

Fotos: Bel Corção
|
Texto: RIOetc

Não param de chegar boas novidades no Cosme Velho! Depois do folie à deux, a Conflor, confeitaria vegana da Luisa Mendonça e Laura Izidoro, veio para misturar sabores frescos e surpreendentes com o ambiente aconchegante da Rua Ererê. Há apenas 11 dias no novo endereço, mas com muita história para contar, as sócias procuram difundir o veganismo através da comida, garantindo que os doces cheguem à mesa sem culpa e com muito amor.

A paixão, aliás, foi o que motivou a Luisa a continuar na cozinha. Há três anos, ela dividia o tempo entre a faculdade de Serviço Social e a Cake Vegan Cake, onde começou a paquerar as colheres de pau e a culinária vegana. Quando percebeu que o flerte tinha se tornado um grande amor, chegou a trancar a faculdade para se aprofundar na gastronomia. Já a Laura, que vinha de uma família com tradição em empresas veganas, deu toda a força e parceria que a Luisa precisava para dar sentido à esse desejo.

“Na época do panetone é sempre assim: demora para caramba para ficar pronto, são 12 horas, e a Luisa fica conversando com ele: ‘cresce, meu lindo, cresce!’. É realmente maravilhoso”, conta Laura, que acompanha a sócia desde que a cozinha da Conflor era na casa da Luisa- e participava de toda a esterilização rigorosa que os cinco gatos da Lu exigiam. O processo, muitas vezes cansativo, levou a uma mudança para a Fábrica da Bhering, onde as duas conseguiram montar um jardinzinho para decorar com flores comestíveis todos os bolos que saíam do forno. 

Hoje, o jardim ainda existe, mas se mudou para o Cosme Velho. As flores que saem de lá enfeitam os doces da casa, como a torta de chocolate, feita com creme de leite de coco- feito na cozinha da Conflor-, chocolate amargo, cacau e base de amendoim, farinha de arroz, coco e passas, para adoçar além do açúcar natural do chocolate. Para os nossos paladares não veganos, tudo foi aprovado! Provamos a tortinha de limão, o bolo de chocolate e a cheesecake de frutas vermelhas, feita com rejuvelac retirado da quinoa, e a nossa favorita da tarde :)

Todo o sabor vem de uma receita especial, que elas não se preocupam em compartilhar: conhecer todos os fornecedores, descobrir novos ingredientes e prezar pela qualidade dos doces. Além do ingrediente que ninguém tira, as mãos da Luisa, que batem todos os bolos com muito carinho. A mente aberta, aliás, vale também para quem senta à mesa. “A gente sempre diz que o sabor não é igual ao doce tradicional, mas se a pessoa vier disposta a conhecer novos sabores, vai se surpreender muito!”, conta a confeiteira.

Comentários