Ir para conteúdo

A arte de fazer um bom drink

Fotos: Bel Corção
|
Texto: RIOetc

Não há limites para a criatividade, é claro. Mas, você já imaginou fazer arte… com um drink? Na ArtRio, feira que acontece na Marina da Glória, de quinta a domingo, todas as formas de arte são válidas, das plásticas às musicais, passando pela gastronomia. No evento, Alex Mesquita, considerado um dos melhores bartenders da cidade e embaixador da cachaça Leblon, do Grupo Bacardi, é o convidado da Bombay Sapphire para expressar sua criatividade através da campanha “Stir Creativity“. A missão? Inventar três receitas de gin inspiradas na leveza do Rio de Janeiro.

É possível que os tricolores mais fanáticos se lembrem dele. Antes de se tornar mixologista, Alex jogou nas categorias de base do Fluminense. A mudança de jornada não curiosamente veio inspirada pelo filme “Cocktail”, de Tom Cruise-, no qual o protagonista, insatisfeito com a própria carreira, decide se aventurar como bartender. A própria aventura de Alex começou no ano seguinte, quando se matriculou na Universidad del Cocktail, em Buenos Aires. A estada, que era para durar um mês, acabou resultando em cinco anos em terras argentinas e um título de técnico em bebidas e mixologista.

Já no Rio, foi ele quem ajudou a eleger o antigo Paris Bar, da Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa, como a melhor carta de drinks da cidade. Por isso, não perdemos a oportunidade em lhe perguntar qual o segredo para montar a gin tônica perfeita. O drink, que entrou em ascensão após o a queda do Aperol, como explica o mixologista, não tem uma receita difícil, mas, segundo Alex, existem alguns truques que transformam o drink de amador em uma gin tônica de especialista:

“A escolha do gelo é fundamental, não pode ser um gelo todo quebradiço. Também é preciso uma taça bacana, de vinho tinto ou vinho branco bojudo, e a tônica ser servida fria, o que é importantíssimo para realçar o Bombay, no caso um bom gin, que é o básico para funcionar. Depois, os cítricos, como o limão, vêm inseridos na receita como se fossem uma infusão. Podem ser em formato de pele, rodela, ou meia lua. Assim, o drink fica refrescante e suave, porque é para apreciar o sabor, não para beber em cinco minutos”, explica o mixologista. 

As receitas criadas  para o ArtRio buscam referências que partem da história do gin às tradições encontradas nos botecos cariocas. O drink Bombay Clover Club – inspirado no clube de mesmo nome na Filadélfia -, é feito com gin Bombay Sapphire, noilly prat- uma espécie de vermute-, suco de limão siciliano e geleia de framboesa. Já o Gin Smash também é feito com o gin da marca, Cedilla – um tipo de licor de açaí -, e suco de limão siciliano. Por fim, Traçado Carioca– inspirado no famoso “rabo de galo” -, tem Bombay Sapphire, Martini Bianco e Martini Bitter.

Além das receitas criadas pelo Alex, a Bombay Sapphire convida todos os visitantes a usarem sua criatividade para personalizar seus próprios drinks. No Bombay Bar, os visitantes da feira poderão literalmente pintar um drink feito à base de gin tônica e espuma de gengibre, batizado de Canvas, a partir de tintas disponiveis no garnish bar. Nós estaremos por lá, fotografando quem tiver as melhores ideias. Temos encontro marcado?

Comentários