Ir para conteúdo

Em vez da verdade, o movimento

Fotos:
|
Texto: RIOetc

Enquanto os grandes centros urbanos parecem esfregar realidades concretas em olhos exaustos, dimensões silenciosas repousam sob o plano do ir/vir/ser que orienta nossos caminhos pela cidade. A street photography habita em meio a esse turbilhão de prédios, pessoas e luzes, buscando ‘trazer à tona’ as cenas que, de tão óbvias, se tornaram invisíveis.

Mas, enquanto a fotografia de rua tradicional caçava o corriqueiro-pitoresco, a artista carioca Patricia Thompson desenvolveu sua pesquisa num universo bem menos figurativo. Em sua exposição individual na Galeria Cor Movimento, ela mostra 23 fotos, de cidades como Tokio, Nova York e Amsterdã, capturadas em seus dois últimos anos de trabalho.

Usando uma Leica com uma lente 75mm, ela caça superfícies reflexivas em que escondam realidades – a serem – expandidas. Seus recursos são o tempo longo de exposição, o desfoque, a incorporação de sombras, reflexos e luzes artificiais, que a permitam mergulhar em um – novo – mundo multidimensional refletido. Beirando a abstração, os planos sobrepostos se transfiguram em uma realidade mágica, descortinada, uma janela para o sur-real. Sua composição é orquestrada de forma que alguns elementos sejam identificáveis, embora estejam abertos à ambiguidade e, assim, libertos de qualquer verdade absoluta.

Ela, que se declara admiradora da fotografia minimalista japonesa, tem em artistas como Nobuyoshi Araki, Hiroshi Sugimoto, Daido Moriyama, suas maiores inspirações. Visitou pela primeira vez o país em uma viagem solo neste ano, que a levou de Tokio à Naoshima – uma museu-ilha a céu aberto no meio do Oceano Pacífico.

“O Japão era um destino que eu sonhava em visitar há muitos anos por causa da minha apreciação pela estética japonesa. Morei em NY durante 6 anos, onde tive acesso a diferentes aspectos culturais no dia a dia. Mais minha maior influência nipônica são os fotógrafos japoneses… Essa elegância minimalista com intenção, sempre fez a minha cabeça.”

Você pode visitar a exposição dela na Geleria Cor Movimento até o fim de outubro, de segunda à sexta, de 10h às 18h.

 

– Aproveitando o gancho, hoje começa o 11º festival de fotografia Paraty Em Foco. Quem vamos? :)

_DSC7048 cópia_DSC7052 cópia_DSC7026ok_DSC7056 cópia_DSC7038ok_DSC7014ok    _DSC7049 cópia  [Texto e fotos por Juliana Rocha]

Comentários