Ir para conteúdo

Contagem regressiva: Queremos! Festival

Fotos: Tiago Petrik
|
Texto: RIOetc

[Cari Caldas]

Oito anos de estrada, mais de 150 shows produzidos e experiências jamais trazidas ao Rio. Essa é a trajetória do Queremos!, plataforma online que mobiliza fãs, artistas e produtores para construir eventos que normalmente não viriam à cidade. Desde 2010, eles foram responsáveis pela vinda de shows como Mike Snow, , e neste ano, dão seu primeiro grande passo: vem aí, o Queremos! Festival, no dia 25 de agosto, na Marina da Glória.

Segundo Felipe Continentino (de preto), sócio da plataforma, a vontade de produzir um festival surgiu junto com o início do projeto, mas, naquela época, a prioridade era inserir a cidade na rota dos músicos alternativos: “quando a gente começou a fazer os shows, começamos fazendo um manifesto, que falava sobre o esvaziamento cultural da cidade. O nosso viés foi por construir um calendário- como se fosse um festival o ano inteiro e sempre tivesse algum show interessante acontecendo no Rio. Então, o objetivo era consolidar a cena e depois transformar os shows em um festival mais parrudo”.

Agora, na realização do Queremos! Festival, a missão é construir uma estrutura efêmera: 12 artistas, mais de 12 horas de festival e um time de food trucks- escolhidos a dedo pelo Thiago Nasser, da Junta Local-, quase tão animador quanto o line-up dos shows. Nos palcos (no plural mesmo, porque são dois) tem Animal Collective, BaianaSystem, Boogarins, Cut Copy, Father John Misty, Ionalee, Letrux, Nepal, Rincon Sapiência, Selvagem, Rubel e Xênia França, intercalados para dar tempo de assistir todo mundo. Já para matar a fome, tem Animal + Dariquim, Brota, Comuna, Puro, Ceviche RJ, South Ferro, Espírito de Porco, Café ao Leu e Bel Trufas e Momo Gelato para adoçar o paladar.

Há quem estranhe tantos nomes brasileiros no line-up. Afinal, se a iniciativa nasceu para trazer artistas gringos, porque tanto destaque para os artistas locais? Pedro Seiler (de listras) explica: “a curadoria dos artistas brasileiros foi basicamente a nossa lista principal, todo mundo que a gente queria a gente conseguiu. A cena nacional nunca esteve tão forte quanto hoje em dia. Não dá para falar que se você não pedir o show tal no Circo Voador ele não vai vir, eles sempre estão ali, mas acho que agora dá para dar esse devido destaque à cena nacional que a gente sempre quis dar”. 

Trazendo ainda mais inovação, os organizadores criaram uma espécie de skyline de 2,5 mque dá acesso a uma torre de cerca de 10  m de altura, na qual os espectadores poderão sentir um gostinho da magnitude que é assistir a um festival de cima, assim como os artistas. Depois de apreciar a vista da Marina da Glória, é hora de chamar os amigos e descansar no redário. Cabe todo mundo!

Para o Pedro, assistir o BaianaSystem, que ele já acompanha desde 2010, no ápice tanto do festival quanto da carreira, vai ser a melhor experiência do Queremos!. Por sua vez, o Felipe já aceitou que vai ver pouca coisa, mas recomenda especialmente os shows da Letrux, Rubel, Xênia França e Ionalee, que já adiantamos que vai tirar o público da zona de conforto.

Quem ainda não comprou o ingresso, é só entrar neste link e começar a contagem regressiva. Já para os indecisos, o Felipe manda o recado: “Se você não conhece nenhum artista, vai para conhecer, comer bem que você vai acabar gostando. Vai ser muito legal estar lá, incentivar uma experiência carioca que está lá, existindo e resistindo”. Em resumo, só vá!

Comentários