Rio de Janeiro, 06|02|17

IMG_0508_ok

[Foto e texto de Tiago Petrik, editor do RIOetc]

.

A Ju eu conheci no carnaval de 2009. Gigantes da Lira (tinha que ser um bloco infantil!). Foi assim: pedi pra fazer uma foto da Roberta, amiga dela. A Roberta posou e me apresentou pra Ju: “Quando precisar de uma estagiária, essa minha amiga aqui é muito boa!, não esquece dela!”.

Uns poucos meses depois, liguei pra Ju – sim, eu tinha anotado o contato num pedaço de papel. E assim ela foi minha estagiária, se formou (com uma ótima dissertação sobre fotografia de rua), viajou pra França pra passar meio ano, voltou.

Continuou baixinha – ela detesta que eu fique lembrando disso toda hora. Mas faço isso aqui porque a verdade é que muitas vezes eu me abaixo pra fotografar, em busca da perspectiva dela. Sei que dali ela vê coisas que eu gostaria de ver. Continuou baixinha, mas virou gente grande de uma hora pra outra. Virou sócia do RIOetc. Lançou um livro. Me ensinou um monte de coisa.

Às vezes eu fico bravo com ela, e ela muitas vezes fica brava comigo; sempre passa, como acontece com qualquer gente que se ama.

Por falar em amor: a Ju conheceu o dela lá no RIOetc. E só isso já justificaria a existência do RIOetc!

O Bruno – lá na pelada ele virou “Jesus Cristo Carioca” – é um garoto de ouro. Outro fotógrafo excepcional. Participou de uma seleção pra ser estagiário, junto com outros 29, e logo nos primeiros minutos de jogo eu já sabia que ele seria escolhido. Além de todo o conhecimento técnico, do olhar diferente, é afeto puro – e isso é fundamental quando você está na rua, abordando estranhos pra pedir uma pose.

Um dia veio me contar, muito constrangido, que estava namorando a Ju. Tava preocupado com o que eu acharia!

Ele ficou conosco talvez um ano e meio. Quando veio me comunicar a decisão de partir, aceitei sem tentar dissuadi-lo. Sabia que ele já não tinha mais nada a aprender comigo.

Os dois se alimentam de bons exemplos e novos conhecimentos, um puxa o outro pra cima. São adeptos da fotografia analógica, criaram um site/agência especializado no tema, O Álbum.

Me dei ao trabalho de contar: das 162 fotos do “volume 3″, o Bruno fez 37, e a Ju, 55 – juntos, mais da metade. Este livro é muito mais do casal do que de qualquer um. Não é à toa que tá tão bonito.

Dia 16/2, a partir das 19h, na Casa Ipanema, vou estar lá pra pegar os autógrafos dos dois. Convido a todos: façam o mesmo!