Ir para conteúdo

Muito prazer, Vagalume

Fotos: Tiago Petrik
|
Texto: RIOetc

Jéssica Perez e Daniela Folha conheceram-se na faculdade de Design, onde foram “colegas de turma e de cerveja”. Aos poucos, a relação evoluiu para uma sociedade que nasceu com um pisca-pisca feito com copinhos de cachaça. Quem vê num mesmo parágrafo as palavras “cerveja” e “cachaça” para descrever as duas pode acabar se enganando: na verdade a sociedade que as une é em torno da luz, a Vagalume. E elas são realmente luminosas. Quando mandam e-mail, assinam com “beijos iluminados”. E estão sempre de ótimo humor. Solares mesmo.

Jéssica já havia feito origamis na época de escola, e isso acabou se tornando um dos pilares da empresa. Elas fazem luminárias a partir das dobraduras de papel, que aprenderam assistindo a tutoriais na internet. Aos poucos, foram se propondo desafios, evoluindo e criando novas soluções.

Passaram a fazer cenografia para eventos a partir dos origamis e das luzes – Dani entrou no teatro para estudar iluminação e aprender mais sobre cenografia. Teve que se desligar (pra usar a palavra apropriada) dos palcos por conta das demandas que foram surgindo. Certa vez, fizeram uma revoada de 1.400 tsurus de origami que sobrevoavam o Museu de Arte do Rio, onde acontecia o evento MAR de Música. No Copacabana Palace, num Prêmio de Teatro Cesgranrio, a revoada foi de 1.000 passarinhos.

Neste Natal, além de estarem vendendo seus produtos na loja do RIOetc, foram as responsáveis por 30 vitrines da Mr Cat, empresa onde Jéssica também trabalha. Foram nada menos que 4.800 bolinhas de luz. Quando passar em frente a uma, lembre delas, que passam às vezes oito horas por dia dobrando papéis e dando um jeito de iluminá-los. A propósito: as lâmpadas nunca ficam em contato com o papel, por motivo de segurança. As cartolinas ainda recebem um spray de verniz fosco, que garante que sua luminária não perderá a cor.

Comentários