Ir para conteúdo

Muito Prazer, Mariah

Fotos: Wendy Andrade
|
Texto: RIOetc

@mariahoficialbr

Se tem uma coisa que a Karen e a Julia Matesco, mão e filha, aprenderam com a vida é que pra empreender não é preciso rios de dinheiro, mas muita coragem e determinação. E foi assim que nasceu, há um ano, a MARIAH, marca de roupa feminina que lançou a sua segunda coleção agora no inverno. A Karen é da área financeira e foi a decepção com o meio corporativo – onde sempre trabalhou – que a fez criar forças pra fazer diferente: “quando eu engravidei da minha segunda filha, passei por um processo de muito assédio na empresa que eu trabalhei. Algo que eu nunca imaginei que existisse ainda. Na época, eu cuidava de 4 gerências. Eles me tiraram todas, me puseram em uma mesa no canto, virada pra parede, ninguém me mandava email ou me ligava. Eu já vinha refletindo sobre como eu queria viver e ficava tentando ligar o que eu sabia profissionalmente, essa expertise financeira, com uma nova forma de acontecer no mundo corporativo”.

A Julia, além de filha e sócia nessa história, também é estudante de administração e está buscando se profissionalizar na área de moda. Ela conta orgulhosa sobre o nome da marca: “foi uma inspiração na minha bisavó que se chama Maria e, pra família, ela é o exemplo de uma mulher forte e determinada”. “Ela se separou, isso há mais de 50 anos atrás, largou o marido e foi criar os filhos sozinha. Então ela sempre foi essa referência pra gente. E o objetivo da Mariah é trabalhar também nesse empoderamento”, completa Karen.

Com uma moda atemporal, uma preocupação com a durabilidade dos tecidos e valor agregado das peças, a MARIAH traz uma ênfase no slow fashion, não apenas no processo de produção, mas como filosofia de consumo responsável. “Temos uma preocupação de estabelecer uma relação muito justa com as pessoas que trabalham conosco. Apoiamos o projeto “Fada Remendeira”, no Horto, doando tecidos, material pra capacitação de mulheres. Estamos o tempo todo tentando encontrar formas de viabilizar a qualificação dessas mulheres que não trabalham e estão agora descobrindo essa profissão. Estamos pensando em um projeto com jeans onde elas serão a mão de obra”, explica Karen.

Por enquanto, elas atendem por hora marcada no ateliê e irão participar do primeiro evento aqui no Rio, o Circuito das Artes do Jardim Botânico nos dias 19, 20, 26 e 27 de agosto. Pra conhecer, passa lá!

 

 

Comentários