Rio de Janeiro, 26|11|15

[Carolina Tardin]

O Comida da Gente é uma rede de ajuda, uma comunidade que partilha de um desejo comum – consumir produtos sem intermediários ao longo do processo. Quem faz o processo acontecer são eles mesmos. A questão aqui não é o que você compra, mas sim como compra. Antes de começar, dá play nesse vídeo aqui:

Mas como funciona o Comida da Gente? É uma página no Facebook? Um grupo, uma plataforma? É tudo isso junto? Calma, parece confuso no início, mas tudo é bem organizado e conta com a colaboração de várias pessoas! A gente explica:

O que nasceu de um pequeno grupo de amigos no Facebook, tomou proporções inimagináveis para Tatiana Dutra, Nilton Lessa e William, que lá em 2013 se conheceram na rede social e criaram o primeiro grupo de compras de produtos orgânicos, com a logística gerenciada pelos próprios membros. A característica de organização se mantém até hoje, o que mudou foi o tamanho dessa galera reunida. O que antes era composto por mais ou menos 40 pessoas, hoje são quase 19 mil no grupo geral (existem também pequenos grupos segmentados por região, para potencializar a logística das listas). E ah, apesar do grupo ser majoritariamente para compra de alimentos, também é possível consumir outras categorias, como artesanato, por exemplo.

A regra básica é a seguinte: a partir de uma inteligência coletiva e uma organização descentralizada, é possível estreitar os laços entre produtor e consumidor – seja lá qual for insumo em questão. O próprio nome diz – compras coletivas e orgânicas, e dentro desse recorte existe um mundo de possibilidades. Qualquer um pode organizar uma lista, oferecer ajuda na distribuição ou simplesmente comprar.

A rede hoje se integra entre a página no Facebook, os grupos de compras e, finalmente, a plataforma da comunidade. Ainda em processo de refinamento, ela deve ser lançada até o final do ano. A ferramenta chega pra otimizar a gestão das compras que já acontecem (e sempre aconteceram) de forma orgânica. Por lá, poderá ser feito um cadastro e a ideia é que as transações apareçam para os usuários da forma mais clara e transparente possível. Isso tudo sempre mantendo a característica essencial de ser um espaço democrático.

E olha que bacana, um parceiro nesse novo momento do Comida da Gente é a Junta Local. Juntos, eles compartilham ferramentas e boas práticas, e geram a troca constante a respeito da relação com os produtores. Uma salva de vivas para mais um passo na história dessa galera que não só se preocupa com a saúde e a alimentação, mas que também dá um salto todos os dias para um mundo mais colaborativo, de vivência em comunidade.

_DSC9019_DSC9039_DSC8983_DSC8982 Fotos: Bruno Machado