Ir para conteúdo

Muito Prazer, Atados

Fotos: Wendy Andrade
|
Texto: RIOetc

[Vivian Melchior]

“Mobilizar pessoas para causas sociais”, esse é um dos lemas do Atados, plataforma social que tem como principal objetivo conectar pessoas e ONGs mobilizando voluntários em prol de diversas causas. – “Ah, mas o que tem de importante nisso?”. Olha, é tanta coisa que fica difícil enumerar – e talvez você termine o texto com vontade de se inscrever HOJE.

Pra começar, o Atados acredita no encontro. Pessoas que querem fazer acontecer e não sabem como. Organizações sociais que precisam de colaboração e não encontraram quem. “O Atados existe há 5 anos em São Paulo. Começou com 5 amigos que faziam administração na USP. Eles viram uma demanda de muitas pessoas querendo ser voluntárias e não sabiam onde, e muitas organizações que não sabiam como chegar até essas pessoas. Criaram então a plataforma do Atados, um site gratuito onde as pessoas podem achar vagas de trabalhos voluntários em diferentes causas e atividades”, explica Rosa Richter Diaz, uma das coordenadoras aqui no Rio. Por aqui, o projeto já existe há 2 anos, trazido pelo Daniel Morais, um dos fundadores.

Além da plataforma digital – que hoje já conta com mais de 76 mil pessoas inscritas, 1.314 organizações cadastradas e 652 oportunidades de voluntariado – o Atados também realiza eventos para despertar o interesse social como, por exemplo, o Dia das Boas Ações, evento mundial que acontece em mais de 90 cidades e já está em sua terceira edição aqui no Rio – essa rola nesse domingo, dia 15, na Quinta da Boa Vista. A principal ideia do acontecimento é mobilizar pessoas para causas sociais: “o maior retorno do Dia das Boas Ações pra gente é o fortalecimento da nossa relação com as instituições, projetos sociais e ONGs do terceiro setor. Normalmente essas instituições têm muito pouca visibilidade, e aí é uma oportunidade deles mostrarem seus trabalhos e de mais pessoas conhecerem”, explica Gabriel de Faro, também coordenador aqui no Rio. O evento conta com diversas atividades, como palco para apresentações culturais das ONGs, debates (Feminicidade e o caso da Marielle são exemplos de alguns que serão comentados), espaço para yoga e meditação, apresentação de grupos profissionais como Tambores de Olokun,  Tá na Rua, Passinho Carioca, espaço gastronômico (facilitado pelo Refoodgees), oficinas, adoção de animais e mais. Um dia para se viver intensamente das 9h às 17h.

Ah, vale dizer que a semana seguinte continua tendo diversas ações pelo Rio de Janeiro propostas pelas próprias ONGs. A programação completa você encontra aqui. O Atados conta com a produção d`A Coorte – de quem também já falamos aqui. <3

“Pra gente, o trabalho voluntário não é de cima pra baixo. Existe muito essa ideia de “ajudar a quem precisa” e dedicar seu tempo como uma “perda”. A nossa maneira de enxergar é muito horizontalizada. Queremos ressaltar a potência dessas pessoas e sempre tentando buscar o bem coletivo e a conexão dessa rede de pessoas”, finalizam os três aí da foto: Gabriel de Faro, Rosa Richter Diaz e Cássia Souza. E aí, quer começar algum trabalho e não sabe por onde? Se interessa por alguma causa ou tem uma ONG à procura de colaboração? O Atados taí pra isso. Se quiser iniciar já, começa indo no domingo. A gente se vê lá!

Comentários