Ir para conteúdo

Vou te contar uma história

Fotos:
|
Texto: RIOetc
Fotos: Bruno Machado

[Carolina Tardin]

Quando você entra na casa da Julia Hirszman o primeiro pensamento que vem na cabeça é “Eu poderia passar o tempo todo aqui dentro”. É como se a vida tivesse lá dentro e não fora, da calçada pra rua.

Seu lar é um oásis no meio do vai e vem de Ipanema – um cantinho escondido no andar térreo com quintal. E lá tem muita cor e mistura. “É uma casa que tem história. Eu vivo pra beber e reunir os amigos”, conta Julia que também tira uma casquinha das cervejas artesanais que seu namorado faz em casa – sim, eles têm uma máquina de fermentação e tão sempre inventando algo por lá.

Falando em inventar, ali além de ser o canto da galera, é também é o da criação. Julia usa seu espaço pra algumas reuniões com clientes e aja brainstorm naquela sala! A ruiva é formada em Propaganda e Marketing e comandou o time da Garimppo por alguns anos. Hoje, em “voo solo”, ela presta consultoria de branding e produção de projetos para algumas marcas. As ideias tão sempre pipocando e os post-its vão se espalhando pelas paredes.

Cada objeto, desde a bancada da cozinha até a mesa de jantar ao ar livre, conta uma história – algo que já era de se esperar de alguém que vive e respira branding 24/7. Os lambe-lambes pela casa foram feitos com as meninas que trabalhavam com ela na época da Garimppo, o narguilé foi filho de uma viagem à Turquia, o pinguim na estante foi presente da amiga Carol Mazza e os quadros japoneses são xodó do Marreco, seu namorado.

O espaço como um todo, como ela mesmo diz é “Uma mistura de coisas antigas, com outras novas e também algumas bregas. Eu gosto dessa coisa de misturar tudo, de ir na Uruguaiana, garimpar em Copacabana e no final ter alguma coisa inusitada e divertida”.  Sua mesa da sala, do Marcelo Rosenbaum, convive com os caixotes na parede e abacaxi do Saara. Seu cooler da Pepsi que fica no quintal foi um achado de Copacabana e por aí vai.

E ah, eu não esqueci do Zé não! Sem o vira-lata (meio border collie) a casa não seria a mesma, definitivamente. A boa do fim de tarde é se estirar na cadeira de praia do quintal e brincar com ele por ali. Mas já vou avisando, ele é esperto e é provável que você canse – antes dele! A energia dele é ligada no 220v, bem como a de sua dona.

_DSC5950 cópia _DSC6028 cópia _DSC6039 cópia _DSC5811 cópia_DSC5998 cópia

_DSC5822 cópia_DSC5856 cópia  _DSC6009 cópia_DSC5868 cópia_DSC6003 cópia  _DSC5834 cópia _DSC5851 cópia_DSC6098 cópia  _DSC5931 cópia_DSC5860 cópia   _DSC5909 cópia_DSC5963 cópia    _DSC5969 cópia  _DSC6041 cópia _DSC5854 cópia

Comentários