Ir para conteúdo

RIOetc entrevista ‘Não é Não’

Fotos: Bel Corção
|
Texto: RIOetc

“Quando eu digo não, é não”, já dizia a Lila e nós nas últimas tatuagens que criamos com a Le Petit Pirate. Aliás, tudo começou com essa história: no carnaval deste ano, a Aisha Jacob – vestida com o nosso “não, é não” para um shooting – sofreu um assédio em um samba, no mesmo dia. “Eu disse não três vezes e, mesmo assim, sofri o assédio”, conta. A pergunta parece óbvia mas precisa ser repetida: quantos nãos ditos e tatuados serão precisos pra que haja respeito?

Foi exatamente com essa premissa que ela e mais 40 meninas resolveram fazer uma outra tattoo, com a mesma mensagem, e distribuí-la durante o carnaval. “Depois dessa situação, naquele mix de sentimentos que todas as mulheres já passaram, decidimos nos juntar pela mesma causa e distribuir a frase. Se isso já tá acontecendo um mês antes do carnaval, imagina quando estivermos nele. Foi justamente o fato de estar usando a tatuagem do RIOetc que desencadeou em mim a vontade de me juntar com todas as mulheres possíveis”, conta Aisha.

Começaram com um grupo – que ainda existe – de mais de 40 meninas no whatsapp. A produção “pesada” fica com essas aí da foto, Aisha Jacob, Barbara Menchise, Nandi Barbosa, Luiza Borges. Quando decidiram começar, em 24 horas conseguiram juntar as 40 e em menos de 48 horas todas já tinham depositado a grana da vaquinha pra mandar rodar na gráfica. “Acho que o impactante é perceber que existe uma lacuna gigante que precisa ser falada”, contam.

“Acabamos pegando a mesma frase “não é não” pois acreditamos nela com um grande efeito e com muito do conceito que queremos passar: a questão da escolha das mulheres e o domínio sobre o nosso corpo”, conta Nandi. Para o carnaval de 2017, a ideia é continuar com a distribuição, e o crowdfunding da campanha tá no ar com diversas recompensas. As meninas já bateram a primeira meta: serão 5 mil tatuagens no Rio de Janeiro! Corre, que só vai até 31 de outubro (dia das bruxas: uma “homenagem” a tudo e a todas as dificuldades que as mulheres já passaram) e as recompensas maravilhosas estão acabando!

Além das tatuagens, a campanha tá com vários eventos rolando:

17 de outubro – roda de conversas sobre o livro “Mulheres que correm com os lobos” na Casa Ipanema.
22 de outubro – exibição do filme “Precisamos falar sobre o assédio” e debate depois na Perestroika.
31 de outubro – encerramento da campanha com “Samba que elas querem” na Malha.

E aí, vamos juntas?

Comentários