Ir para conteúdo

Mashup do Exílio

Fotos:
|
Texto: RIOetc

[Duda Salgado d’Almeida]

Um mashup de poesias e línguas é o mais perto de como minha cabeça está nesse momento.

Mashup do Exílio
(“Canção do Exílio”, Gonçalves Dias + “Nostalgia”, Caetano Veloso + “Walking Around”, Pablo Neruda + “Anthem”, Leonard Cohen” + “Onde Eu Nasci Passa Um Rio”, Caetano Veloso + “Je t’aime, Moi non plus”, Serge Gainsbourg)

Minha terra tem palmeiras, 
onde canta o sabiá;
Acontece que entro nas alfaiatarias e nos cinemas
Abatido, impenetrável, como um cisne de feltro.
Je vais, je vais et je viens
Entre tes reins
Je vais et je viens
Entre tes reins
Et je me retiens
Je t’aime moi non plus.

As aves, que aqui gorjeiam, 
não gorjeiam como lá.
Há pássaros de enxofre com horríveis intestinos.
Eu só quero um descanso de pedras ou de lã;

Acontece que me canso de ser homem.

Onde nasci, passa um rio
Oh mon amour
Comme la vague irresolute.
Passava como se o tempo
Nada pudesse mudar
Passava como se o rio
Não desaguasse no mar.

We asked for signs
the signs were sent;
You just feel faintly proud when you hear they shout
“you’re not allowed in here, get out”
That’s what rock’n’roll is all about

Hoje eu sei que o mundo é grande,
e o rio deságua no mar
Tu es la vague, moi l’île nue
Tu vas, tu vas et tu viens

Oh, je t’aime.

Não permita Deus que eu morra, 
sem que eu volte para lá
O rio só chega no mar ,
Depois de andar pelo chão.

Comentários